quarta-feira, 6 de agosto de 2008

PLANO DE GESTÃO QUADRIENAL

A) IDENTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA


IDENTIFICAÇÃO:

E.M.E.I. “Profª. Adélia Dib Jorge”

LOCALIZAÇÃO:

Rua : Laudelino Camargo, 500
Vila São Sebastião – Taquaritinga/SP
CEP 15.900.000
Fone: (16) 3253-6090
CNPJ: 09.606.080/0001-06

ATOS LEGAIS:

Ato de Criação:
Decreto 2.924/02 de 18/12/02

Ato de denominação:
Lei 3.281 de 03/12/02

Ato de autorização de funcionamento;
Resolução S.M.E. nº 003/03 de 23/04/03
Parecer do conselho Municipal de educação 001/03 de 23/04/03

CÓDIGO DA UNIDADE ESCOLAR:

CIE: 283782

JURISDIÇÃO:

Secretaria Municipal de Educação

MODALIDADES DE ENSINO:

A E.M.E.I. “Profª. Adélia Dib Jorge”, oferece cursos de educação Infantil em período integral (3 à 6 anos), sendo o mesmo disposto em salas de Maternal II ( 3 anos), Jardim I (4 anos), Jardim II (5 anos) e Pré-Escola (6 anos).

DIREÇÃO:

Roselene Hidalgo Miguel Malaguti
Coordenadora de Creche




ESCOLA E COMUNIDADE

RECURSOS FÍSICOS:

A E.M.E.I. “Profª. Adélia Dib Jorge”, está instalada num prédio municipal que passou por reforma e ampliação para sua instalação, dotado de infra-estrutura satisfatório com instalações hidráulicas e conforto ambiental (iluminação e ventilação) e conta com as seguintes dependências:

Setor Administrativo:
- 1 secretaria
- 1 sanitário

Setor de Serviços:
- 1 cozinha
- 1 lavanderia
- 1 refeitório
- 1 pátio coberto
- 4 banheiros, sendo 2 com fraldário

Setor Pedagógico:
- 4 salas de aula
- 1 sala de professor

RECURSOS MATERIAIS

 Secretaria
01 computador com mesa
01 armário de aço com porta
02 escrivaninhas com cadeiras
01 arquivo
01 estante de aço
01 aparelho telefônico
01 ventilador

 Salas – 1ª, 2ª, 3ª etapas
(cada sala contém)
01 armário de aço com porta
02 Estantes de aço (Jd.I – 01)
07 mesinhas com 04 cadeiras cada
02 ventiladores de teto (Jard.I – 01)
02 mesas de professor com 01 cadeira
01 lousa

 Maternal I
01 armário de aço com porta
02 estantes de aço
06 mesainhas com 04 cadeiras cada
01 lousa
01 ventilador de teto
 Refeitório
05 mesas grandes com 02 bancos cada
02 mesas de professor para refeitório
01 estante de aço

 Cozinha
01 fogão convencional com 04 bocas
01 fogão industrial com 02 bocas
01 geladeira
01 freezer vertical
01 espremedor de frutas (sem uso)
01 batedeira
01 liquidificador
Xícaras, copos, pratos, talheres, canequinhas, panelas de pressão, panelas comuns e outros utensílios domésticos em geral .

 Lavanderia
01 tanquinho de lavar roupas
01 máquina de lavar roupas
01 estante de aço
01 armário de aço comporta
01 tábua de passar roupa


RECURSOS TÉCNICOS PEDAGÓGICOS

A E.M.E.I. “Profª. Adélia Dib Jorge” se encontra relativamente equipada para dar estrutura às suas atividades educacionais.
Conta com :
- livros de literatura infantil ( nos cantinhos de leitura das salas de aula).
- 01 Televisão.
- 01 Vídeo Cassete.
- 01 Aparelho de som c/ CD
- 01 Rádio gravador c/ CD
- 01 Computador c/ impressora
- 01 Mimeografo

RECURSOS HUMANOS:

A escola dispõe de:

Núcleo de Direção e Técnico Pedagógico:
- 01 Coordenador de Creche

Núcleo Administrativo:
- 01 Escriturário

Núcleo Operacional:
- 04 Monitores ( Berçaristas, Aux. de Desenv. Infantil e Recreacionista)
- 03 Serviços Gerais
- 01 Estagiária

Corpo Docente:
- 03 Professores

Corpo Discente:
Atendemos 95 crianças de 03 a 06 anos, distribuídas da seguinte forma:
Maternal II = 20 alunos
Jardim I = 25 alunos
Jardim II = 25 alunos
Pré-Escola = 25 alunos

CLIENTELA

A clientela é carenciada de modo geral, proveniente de lares desfeitos ou desestruturados, pela falta de emprego ou atividade econômica, alcoolismo e droga.
É constituída por elementos de diversas raças e seus cruzamentos.
A clientela é de 95 crianças de 03 a 06 anos que freqüentam em período integral enquanto os pais ou responsáveis trabalham, pois a situação econômica e financeira é de classe baixa, estes profissionais provém de vários setores, sendo a predominância lavradores e domésticas.
O grau de instrução é de primeiro grau incompleto na sua maioria, sendo destes 0,5% analfabetos e 20% com primeiro grau completo.
A renda familiar é em média dois salários, sendo que 40% participa do programa Bolsa Família.

COMUNIDADE

A E.M.E.I. “Profª Adélia Dib Jorge” está localizada no bairro Vila São Sebastião, um dos bairros de maior carência econômica e atende outros bairros também carentes como: Francisco Romano, Rosa Bedran, Caic e Vila Romana.
A população é pobre, carente e trabalhadora. Residem em habitações com pouco conforto, geralmente inacabadas e de alvenaria.
A estrutura urbana oferece água encana e energia elétrica. Usufruem de esgoto público, calçamento e iluminação.
O bairro não conta com fábricas.
O atendimento médico é feito na UBS do bairro.
O comércio tem crescido e contempla todo tipo de comércio dentro do perfil de poder aquisitivo da população local.
O bairro é servido por linha de transporte coletivo urbano com vários pontos e horários de linhas.
O atendimento escolar é excelente com 01 Escola Estadual de 5ª a 8ª série, 03 Escolas Municipais de Educação Infantil e de 1ª a 4ª série, 01 Berçário Municipal e mais 01 Creche Municipal.
Possui uma área de lazer muito boa, recém inaugurada.
A escola mantém um bom relacionamento com a comunidade, sendo a mesma cada vez mais participativa nas atividades regulares da escola.


GESTÃO DA ESCOLA

A forma de provimento da direção é através de concurso público municipal, sendo q a mesma pertence ao quadro da Educação Municipal. Exerce a liderança no ambiente escolar, incentivando novas lideranças, compartilhando compromissos e responsabilidades de forma criativa, visando a melhoria do processo e dos resultados educacionais. Tem um papel de líder democrático na coordenação dos processos pedagógicos e educativos, cabendo-lhe a função de mediar a implementação dos espaços necessários às ações e das decisões compartilhadas na escola.
Portanto o estilo de gestão far-se-á democraticamente com observância dos princípios de autonomia, coerência, pluralismo de idéias e concepções pedagógicas visando um processo de participação das comunidades local e escolar.
Este envolvimento da comunidade escolar far-se-á através das ações do regimento escolar, que estabelece regras de funcionamento interno e dos cargos dos funcionários, corpo docente e discente, sendo o regimento aprovado pelo Conselho de Escola que é um mediador de interlocutor e de compartilhamento das decisões no interior da escola , contribuindo para o processo de democratização de gestão escolar .
Conta ainda com a A.P.M. que tem por finalidade colaborar com a qualidade educacional almejada pelas comunidades escolar e local, com o encaminhamento de ações que integram os anseios das famílias e com a função, os objetivos e as metas da escola, competendo ainda estabelecer e dinamizar canais de participação da comunidade no planejamento, no processo de tomada de decisão, no desenvolvimento de atividades e nas ações da escola.
O gerenciamento de recursos será feito pela A.P.M.
A política adotada para o atendimento da demanda é priorizar as mães que trabalham, e as vagas restantes preenchidas pelas que não trabalham.

Missão
A missão desta E.M.E.I. é promover o desenvolvimento integral e contínuo do aluno, considerando sua realidade social, econômica, emocional, física e intelectual. Não perdendo, portanto, sua função de preparar a criança para a alfabetização.

B) OBJETIVOS DA ESCOLA:

A E.M.E.I. “ PROF.ª ADÉLIA DIB JORGE ”, tem como finalidade o desenvolvimento das capacidades inatas integral da criança de 0 a 6 anos em seus aspectos físicos, psicológicos, intelectuais e sociais complementando a ação da família e da comunidade, associando as 2 funções indispensáveis: EDUCAR e CUIDAR, integrando-a no meio social em que vive.

- Complementar juntamente com a família os cuidados básicos de saúde (física e mental) em conjunto com setores competentes.

- Prestar assistência integral em qualquer parte do dia, cuidando de sua segurança física e emocional , com inclusão dos cuidados relativos a : segurança, higiene, alimentação, afeto, educação.

- Proporcionar atendimento psicopedagógico construído sobre sólidas bases afetivas, para que a criança cresça forte e segura emocionalmente.

- Criar experiências que levem à individualização, descoberta e formação do eu e desenvolvimento da auto-estima.

- Expressar suas emoções de maneira diferente como brincar e utilizar diferentes linguagens: corporal, musical, plástica oral e escrita.

- Oferecer condições essenciais que favoreçam o desabrochar das habilidades inatas das crianças.

- Promover o desenvolvimento e autonomia integral da criança em seus aspectos físico-biológico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade.

- Promover a ampliação de suas experiências e conhecimentos, estimulando seu interesse pelo processo de transformação da natureza e pela convivência em sociedade.

- Considerar o grau de desenvolvimento da criança, sua diversidade cultural e social.

- Atender crianças com necessidades especiais.


C) Definição das metas a serem atingidas e
das ações a serem desencadeadas

Metas Ações
Apropriação e compreensão dos conteúdos das aprendizagens bem como o desenvolvimento do raciocínio e do pensamento, preparando para a construção do conhecimento. Criar situações desafiadoras que propicie a construção e ampliação do conhecimento.
Formar crianças autônomas capazes de atuar em sociedade. Por meio das atividades pedagógicas estabelecidas pelo corpo docente e complementadas pelos auxiliares de educação.
Envolvimento e interação da comunidade escolar. Proporcionar ambiente acolhedor através de reuniões, palestras, etc, bem como participação em Órgãos Colegiados.
Instituir mecanismos de colaboração com o setor de saúde. Estabelecer programas de atendimento e orientação aos pais e alunos com problemas psicológicos entre outros e também auxílio a famílias carentes e desestruturadas.
Adquirir brinquedos pedagógicos. Através de campanhas.
Implementar formas de participação da comunidade. Através da participação na APM e no Conselho de Escola, promovendo eventos tanto para a participação como para a arrecadação de verbas para compra de recursos pedagógicos.
Envolvimento dos docentes e funcionários com as normas regimentais e disciplinares. Por meio de criação do Regimento interno pela gestão democrática, conscientizar os docentes e funcionários da importância do trabalho em equipe para obtenção de um funcionamento integral, respeito e consideração mútuas
Saber respeitar o “próximo” em seus bens materiais e morais, conscientizando sobre a importância de ter uma boa educação para o bem estar pessoal e da comunidade. Implantação de projetos.
Criação de uma sala de Maternal I Matricular crianças de 2 anos , devido no ano de 2009, haver a implantação do ensino de 9 anos e uma das salas ficar vaga.


D) PLANO DE CURSO

A organização dos conteúdos para o trabalho, respeitará as diferentes capacidades das crianças.
Desenvolvemos o trabalho nos seguintes eixos: Identidade e Autonomia, Movimento, Linguagem Oral e Escrita, Matemática, Natureza e Sociedade, Música e Artes.

Movimento

O Movimento para a criança significa muito mais do que mexer partes do corpo ou deslocar-se no espaço. A criança, na maioria das vezes, expressa-se e se comunica por meio dos gestos e das mímicas faciais e interage utilizando fortemente o apoio do corpo. A dimensão corporal integra-se ao conjunto da atividade da criança.
Valorizando a importância do movimento nessa faixa etária, as aulas de Educação Física são ministradas por professores especializados, enfatizando o desenvolvimento psicomotor, interagindo com o professor regente, buscando o mesmo objetivo.

Música

A música é a linguagem em formas sonoras capazes de expressar e comunicar sensações, sentimentos e pensamentos, nas mais diversas situações.
A integração entre aspectos sensíveis, afetivos, estéticos e cognitivos, assim como a promoção de interação e comunicação social conferem caráter significativo à linguagem musical. É uma das formas importantes de expressão humana, o que por si justifica sua presença no contexto da educação, de um modo geral, e na Educação Infantil, particularmente.

Artes

As Artes estão presentes no cotidiano da vida infantil. Ao rabiscar; ao desenhar no chão, na areia e nos muros; ao utilizar materiais encontrados ao acaso (gravetos, pedras, carvão etc); ao pintar os objetos, e até mesmo seu próprio corpo, a criança expressa sua sensibilidade.

Matemática

As crianças têm e podem ter várias experiências com o universo matemático e outros que lhe permitem fazer descobertas, tecer relações, organizar o pensamento, raciocínio lógico, situar-se e localizar-se espacialmente. Configura-se, desse modo, um quadro inicial de referências lógico-matemáticas. Nessa perspectiva, a Instituição de Educação Infantil pode ajudar as crianças a organizarem melhor as suas informações e estratégias, bem como proporcionar condições para a aquisição de novos conhecimentos matemáticos.

Natureza e Sociedade

O eixo do trabalho denominado Natureza e Sociedade reúne temas pertinentes ao mundo social e natural. A intenção é que o trabalho ocorra de forma integrada, ao mesmo tempo em que são respeitadas as especificidades das fontes, abordagens e enfoques advindos dos diferentes campos das ciências Humanas e Naturais.
Muitos são os temas pelos quais as crianças se interessam (bichos, tempestade, heróis, etc.) As vivências, as histórias, os modos de vida, os lugares e o natural são para as crianças parte de um todo integrado, construindo um conjunto de conhecimentos sobre o mundo que as cerca.

Linguagem Oral e Escrita

O trabalho com a linguagem se constitui um dos eixos básicos na Educação Infantil, dada sua importância para a formação do sujeito, para a interação com as outras pessoas, na orientação das ações das crianças, na construção de muitos conhecimentos e no desenvolvimento do pensamento.
A Educação Infantil, ao promover experiências significativas de aprendizagem da língua, por meio de um trabalho com a linguagem oral e escrita, se constitui em um dos espaços de ampliação das capacidades de comunicação e expressão e de acesso ao mundo das letras pelas crianças. Aprender uma língua, não é somente aprender as palavras mas, também, os seus significados culturais e com eles entender, interpretar e representar a realidade sociocultural.



MATERNAL I e II



IDENTIDADE E AUTONOMIA

OBJETIVOS GERAIS
• Possibilitar que a criança construa a sua identidade e autonomia, por meio das brincadeiras, das interações socioculturais e da vivência de diferentes situações, levando-se em conta a sua capacidade de tomar decisões respeitando regras e valores pessoais e coletivos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
• Experimentar e utilizar os recursos de que dispõe para a satisfação de suas necessidades essenciais, expressando seus desejos, sentimentos, vontades e desagrados, e agindo com progressiva autonomia;
• Familiarizar-se com a imagem do próprio corpo, conhecendo progressivamente seus limites, sua unidade e as sensações que ele produz;
• Interessar-se progressivamente pelo cuidado com o próprio corpo, executando ações simples relacionadas à saúde e higiene;
• Brincar;
• Relacionar-se progressivamente com mais crianças, com seus professores e com demais profissionais da instituição, demonstrando suas necessidades e interesses.

CONTEÚDOS
CONCEITUAIS
• Reconhecimento progressivo do próprio corpo e das diferentes sensações e ritmos que produz.

PROCEDIMENTAIS
• Realização de pequenas ações cotidianas ao seu alcance para que adquira maior independência.
• Escolha de brinquedos, objetos e espaços para brincar.

ATITUDINAIS
• Comunicação e expressão de seus desejos, desagrados, necessidades, preferências e vontades em brincadeiras e nas atividades cotidianas.
• Iniciativa para pedir ajuda nas situações em que isso se fizer necessário.
• Interesse pelas brincadeiras e pela exploração de diferentes brinquedos.
• Participação e interesse em situações que envolvam a relação com o outro.
• Identificação de situações de risco no seu ambiente mais próximo.

MOVIMENTO

OBJETIVOS GERAIS
• Permitir que as crianças atuem sobre o meio físico, social e cultural, expressando seus sentimentos, emoções e pensamentos, conhecendo gradativamente os limites e potencialidades de seu corpo.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
• Familiarizar-se com a imagem do próprio corpo;
• Explorar as possibilidades de gestos e ritmos corporais para expressar-se nas brincadeiras e nas demais situações de interação;
• Deslocar-se com destreza progressiva no espaço ao andar, correr, pular etc, desenvolvendo atitude de confiança nas próprias capacidades motoras;
• Explorar e utilizar os movimentos de preensão, encaixe, lançamento etc, para o uso de objetos diversos.
• Reconhecer e explorar a creche;
• Expressar ritmo através dos movimentos do corpo; cantar, dançar, etc...
• Experimentar situações em que execute movimentos articulados do corpo;
• Perceber igualdades e diferenças na manipulação de materiais.

CONTEÚDOS
CONCEITUAIS
• Reconhecimento progressivo de segmentos e elementos do próprio corpo por meio da exploração, das brincadeiras, do uso do espelho e da interação com os outros.
• Conhecimento e identificação de manifestações corporais, de seus sentimentos e dos sentimentos do outro.

PROCEDIMENTAIS
• Aperfeiçoamento dos gestos relacionados com a preensão, o encaixe, o traçado no desenho, o lançamento, etc, por meio da experimentação e utilização de suas habilidades manuais em diversas situações cotidianas;
• Exploração de diferentes posturas, como sentar-se em diferentes inclinações, deitar-se em diferentes posições, ficar ereta, apoiada na ponta dos pés com e sem ajuda, arrastar-se, engatinhar, rolar, andar, correr, correr, saltar, etc...
• Desenvolvimento de ações em que a criança experimente com o corpo noções de equilíbrio, impulso, força, velocidade, flexibilidade e direção;
• Manipulação de materiais, objetos e brinquedos diversos para desenvolvimento de suas habilidades manuais.

ATITUDINAIS
• Expressão de sensações e ritmos corporais por meio de gestos, posturas e da linguagem oral.
• Valorização das conquistas corporais.

LINGUAGEM ORAL E ESCRITA

OBJETIVOS GERAIS
Ampliar as possibilidades da criança de inserção, participação e interação nas diversas práticas sociais.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Interessar-se pela leitura de histórias;
Familiarizar-se aos poucos com a escrita por meio da participação em situações nas quais ela se faz necessária e do contato cotidiano com livros, revistas, histórias em quadrinhos, etc.
Participar de variadas situações de comunicação oral;
Ampliar o universo da representação por meio da linguagem falada/dramatizada;
Expressar-se de forma clara e relativamente organizada;
Participar de situações nas quais se faz necessário o uso da leitura, manuseando materiais impressos.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Relato de experiência vivida.
Reconto de histórias conhecidas com ajuda do adulto e com estímulo visual.

PROCEDIMENTAIS
Uso da linguagem oral para conversar, comunicar-se, relatar suas vivências e expressar desejos, vontades, necessidades e sentimentos, nas diversas situações de interação presentes no cotidiano;
Observação e manuseio de materiais impressos, como livros, revistas, histórias em quadrinhos, etc;
Participação em situações de leitura de diferentes gêneros feita pelos adultos, como contos, poemas, parlendas, trava-língua, etc
Participação em situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da leitura e da escrita;
Desenho como representação gráfica
Participação em situações que as crianças “leiam”, ainda que não o façam de maneira convencional.

ATITUDINAIS
Valorização da linguagem oral como fonte de comunicação.



MATEMÁTICA

OBJETIVOS GERAIS
Estabelecer aproximações a algumas noções matemáticas presentes no seu cotidiano, utilizando a linguagem corporal, oral e matemática.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Estabelecer aproximações a algumas noções matemáticas presentes no seu cotidiano, como contagem, relações espaciais, etc.
Explorar objetos em suas diferentes características.
Localizar-se no espaço utilizando o corpo como forma de conhecimento e expressão.

CONTEÚDOS

PROCEDIMENTAIS
Utilização da contagem oral, de noções de quantidade, de tempo e de espaço em jogos, brincadeiras e músicas junto com o professor e nos diversos contextos nos quais as crianças reconheçam essa utilização como necessária.
Manipulação e exploração de objetos e brinquedos, em situações organizadas de forma a existirem quantidades individuais suficientes para que cada criança possa descobrir as características e propriedades principais (textura, peso, consistência, cor, forma, altura, tamanho) e suas possibilidades associativas: empilhar, rolar, transvasar, encaixar, lançar, comparar, classificar e ordenar).
Utilização de noções de tempo e de espaço na rotina diária (antes, depois, velho, novo, dia, noite).
Localização de pessoas e objetos utilizando vocabulário pertinente nas diversas situações (dentro/fora, embaixo/em cima, na frente, atrás, ao lado de , em pé, deitado)
Localizar-se e deslocar-se no espaço (para frente, para trás, para cima, para baixo, para o lado).
Descrição e representação de pequeno percurso e trajeto, observando pontos de referência.

NATUREZA E SOCIEDADE

OBJETIVOS GERAIS
Explorar o ambiente, manifestando interesse e curiosidade pelo mundo social, natural e cultural.
Desenvolver a autonomia e a interação com o meio ambiente, valorizando sua importância para a preservação das espécies e qualidade de vida.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Explorar o ambiente, para que possa se relacionar com as pessoas, estabelecer contato com pequenos animais, com plantas e com objetos diversos, manifestando curiosidade e interesse.
Conhecer e valorizar valores humanos.
Experimentar situações em que possa explorar e conhecer a si mesma e o mundo, por meio de descobertas e novos desafios.

CONTEÚDOS
CONCEITUAIS
Conhecimento do próprio corpo por meio do uso e da exploração de suas habilidades físicas, motoras e perceptivas.
Conhecimento e estudo do meio social, natural e cultural.
Reconhecimento do próprio corpo por meio do uso e da exploração de suas habilidades físicas, motoras e perceptivas (auditiva, visual, tátil, gustativa e olfativa).

PROCEDIMENTAIS
Participação em atividades que envolvam histórias, brincadeiras, jogos e canções que digam respeito às tradições culturais de sua comunidade e de outros grupos.
Contato com pequenos animais e plantas.
Desenvolvimento de atitudes, manutenção e preservação dos espaços coletivos.
Exploração de diferentes objetos, de suas propriedades (som, odor, forma, tamanho, textura, peso, consistência, movimento, temperatura) e de relações simples de causa (a ação da criança) e efeito (a relação dos objetos).

ATITUDINAIS
Valorização humana.
Cuidado no uso dos objetos do cotidiano, relacionados à segurança e à preservação de acidentes.



MÚSICA

OBJETIVOS GERAIS
Explorar a linguagem musical atendendo as necessidades de expressão da criança em sua esfera afetiva, estética e cognitiva.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ouvir, perceber e discriminar sons diversos, fontes sonoras e produções musicais.
Brincar com a música, imitar, inventar e reproduzir criações musicais.
Perceber as variações de ritmo por meio de dança, palmas, instrumentos, corridas, batimentos de mãos e pés e movimentos dirigidos.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Ampliação do repertório musical com canções do cancioneiro popular e obras musicais variadas (erudita e popular).

PROCEDIMENTAIS
Exploração, expressão e produção do silencio e de sons com a voz, o corpo, o entorno e materiais sonoros diversos.
Interpretação de músicas e canções diversas.
Participação em brincadeiras e jogos cantados e rítmicos.
Escuta de obras musicais variadas.
Participação em situações que integrem musicas, canções e movimentos corporais.
Exercícios de percepção auditiva para distinguir silêncio e sons do ambiente.
Brincadeiras com a produção de sons vocais diversos, imitando, criando e se comunicando através da linguagem musical.

ARTES VISUAIS

OBJETIVOS GERAIS
Garantir oportunidades para que as crianças desenvolvam a imaginação criadora, a expressão, a sensibilidade e a comunicação.
Ampliar o conhecimento de mundo em relação às diversas formas de expressão artística.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ampliar o conhecimento de mundo que possuem, manipulando diferentes objetos e materiais, explorando suas características, propriedades e possibilidades de manuseio e entrando em contato com formas diversas de expressão artística.
Utilizar diversos materiais gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar suas possibilidades de expressão e comunicação.
Interessar-se pelas próprias produções e pelas de outras crianças.
Estimular o respeito pelo processo de produção e criação.
Trabalhar individualmente e coletivamente.
Explorar diversos movimentos gestuais, visando representação gráficas.

CONTEÚDOS

PROCEDIMENTAIS
Exploração e manipulação de materiais, como lápis e pinceis de diferentes texturas e espessuras, brochas, carvão, carimbo, etc;de meios, como tintas, água, areia, terra, argila, etc;e de variados suportes gráficos, como jornal, papel, papelão, parede, chão, caixas, madeiras, etc.
Exploração e reconhecimento de diferentes movimentos gestuais, visando a produção de marcas gráficas.
Observação e identificação de imagens diversas: pessoas, animais, objetos, cenas, cores e formas.

ATITUDINAIS
Cuidado com o próprio corpo e dos colegas no contato com os suportes e materiais de artes.
Cuidado com os materiais e objetos produzidos. individualmente ou em grupo.

JARDIM I

IDENTIDADE E AUTONOMIA


OBJETIVOS GERAIS
Possibilitar que a criança construa a sua identidade e autonomia, por meio das brincadeiras, das interações socioculturais e da vivência de diferentes situações, levando-se em conta a sua capacidade de tomar decisões respeitando regras e valores pessoais e coletivos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ter uma imagem positiva de si, ampliando sua autoconfiança, identificando cada vez mais suas limitações e possibilidades, e agindo de acordo com elas, familiarizando-se com a imagem do próprio corpo.
Identificar e enfrentar situações de conflitos utilizando seus recursos pessoais, respeitando as outras crianças e adultos e exigindo reciprocidade.
Valorizar ações de cooperação e solidariedade, desenvolvendo atitudes de ajuda e colaboração e compartilhando suas vivências.
Brincar.
Adotar hábitos de autocuidado, valorizando as atitudes relacionadas com a higiene, alimentação, conforto, segurança, proteção do corpo e cuidados com a aparência.
Identificar e compreender a sua pertinência aos diversos grupos dos quais participam, respeitando suas regras básicas de convívio social e diversidade que os compõe.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Conhecimento, respeito e utilização de algumas regras elementares de convívio social.

PROCEDIMENTAIS
Iniciativa para resolver pequenos problemas do cotidiano, pedindo ajuda se necessário.
Participação e situações de brincadeira nas quais as crianças escolham os parceiros, os objetos, os temas, o espaço e as personagens.
Participação de meninos e meninas igualmente em brincadeiras de futebol, casinha, pular corda, etc.
Participação na realização de pequenas tarefas do cotidiano que envolvam ações de cooperação, solidariedade e ajuda na relação com os outros.
Procedimentos relacionados à alimentação e à higiene das mãos, cuidado e limpeza pessoal das várias partes do corpo.
Utilização adequada dos sanitários.
Procedimentos básicos de prevenção à acidentes e autocuidado.
Expressão, manifestação e controle progressivo de suas necessidades, desejos e sentimentos em situações cotidianas.

Identificação progressiva de algumas singularidades próprias e das pessoas com as quais convive no seu cotidiano em situações de interação.
Participação em situações que envolvam a combinação de algumas regras de convivência em grupo e aquelas referentes ao uso dos materiais e do espaço, quando isso for pertinente.
Identificação de situações de risco no seu ambiente mais próximo.

ATITUDINAIS
Valorização do diálogo como uma forma de lidar com os conflitos.
Respeito às características pessoais relacionadas ao gênero etnia, peso, estatura etc.
Valorização da limpeza e aparência pessoal.
Respeito e valorização da cultura do seu grupo de origem e de outros grupos.
Valorização dos cuidados com os materiais de uso e coletivo.

MOVIMENTO

OBJETIVOS GERAIS
Permitir que as crianças atuem sobre o meio físico, social e cultural, expressando seus sentimentos, emoções e pensamentos, conhecendo gradativamente os limites e potencialidades de seu corpo.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ampliar as possibilidades expressivas do próprio movimento, utilizando gestos diversos e o ritmo corporal nas brincadeiras, danças, jogos e demais situações de interação.
Explorar diferentes qualidades e dinâmicas do movimento, como força, velocidade, resistência e flexibilidade, conhecendo gradativamente os limites e as potencialidades de seu corpo.
Controlar gradualmente o próprio movimento, aperfeiçoamento seus recursos de deslocamento e ajustando suas habilidades motoras para a utilização em jogos, brincadeiras, danças e demais situações.
Utilizar os movimentos de preensão, encaixe, lançamento, etc para ampliar suas possibilidades de manuseio de diferentes materiais e objetos.
Apropriar-se progressivamente da imagem global de seu corpo, conhecendo e identificando seus segmentos e elementos e desenvolvendo cada vez mais uma atitude de interesse e cuidado com o próprio corpo.
Familiarizar-se com a imagem do próprio corpo.
Expressar ritmo por meio dos movimentos do corpo.
Deslocar-se com destreza no espaço.
Perceber igualdades e diferenças na manipulação de materiais, explorando suas possibilidades.

CONTEÚDOS
CONCEITUAIS
Reconhecimento progressivo do corpo humano.

PROCEDIMENTAIS
Utilização expressiva intencional do movimento nas situações cotidianas e brincadeiras.
Percepção de estruturas rítmicas para expressar-se corporalmente por meio da dança, brincadeiras e de outros movimentos.
Percepção das sensações, limites, potencialidades, sinais vitais e integridade do próprio corpo.
Participação em brincadeiras e jogos que envolvam correr, subir, descer, escorregar, pendurar-se, movimentar-se, dançar, etc, para ampliar gradualmente o conhecimento e controle sobre o corpo e movimento.
Utilização dos recursos de deslocamento e das habilidades de força, velocidade, resistência e flexibilidade nos jogos e brincadeiras dos quais participa.
Manipulação de materiais, objetos e brinquedos diversos para aperfeiçoamento de suas habilidades manuais.
Coordenação e controle da motricidade gráfica e das habilidades motoras finas, por meio da manipulação de materiais, aperfeiçoando mecanismo de preensão, encaixe e o traçado.
Percepção das sensações, limites e potencialidades do próprio corpo.


ATITUDINAIS
Valorização das conquistas corporais.
Valorização e ampliação das possibilidades estéticas do movimento pelo conhecimento e utilização de diferentes modalidades de dança.

LINGUAGEM ORAL E ESCRITA

OBJETIVOS GERAIS
Ampliar as possibilidades da criança de inserção, participação e interação nas diversas práticas sociais.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ampliar gradativamente suas possibilidades de comunicação e expressão, interessando-se por conhecer vários gêneros orais e escritos e participando de diversas situações de intercambio social nas quais possa contar suas vivencias, ouvir as de outras pessoas, elaborar e responder perguntas.
Familiarizar-se com a leitura e escrita por meio do manuseio de livros, revistas e outros portadores de texto e da vivencia de diversas situações nas quais seu uso se faça necessário.
Escutar textos lidos, apreciando a leitura feita pelo professor.
Interessar-se por escrever palavras e textos ainda que não de forma convencional.
Reconhecer seu nome escrito, sabendo identifica-lo nas diversas situações do cotidiano.
Escolher os livros para ler e apreciar.
Interagir e expressar-se em situações que exijam a comunicação oral.
Expressar-se de forma clara e organizada e estabelecer diálogo.
Vivenciar situações para a aquisição da base alfabética.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Relato de experiência vivida e narradas de fatos em seqüência temporal e causal.
Reconto de histórias conhecidas com aproximação às características da historia original no que se refere à descrição de personagens, cenários e objetos.
Conhecimento e reprodução oral de jogos verbais, como trava-línguas, parlendas, adivinhas, quadrinhas, poemas e canções.
Reconhecimento do próprio nome dentro do conjunto de nomes do grupo nas situações em que isso se fizer necessário.

PROCEDIMENTAIS
Uso da linguagem oral para conversar, comunicar-se, relatar suas vivências e expressar desejos, vontades, necessidades e sentimentos, nas diversas situações de interação presentes no cotidiano;
Elaboração de perguntas e respostas de acordo com os diversos contextos que participa.
Observação e manuseio de materiais impressos, como livros, revistas, histórias em quadrinhos, etc;
Participação em situações de leitura de diferentes gêneros feita pelos adultos, como contos, poemas, parlendas, trava-língua, etc
Participação em situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da escrita;
Desenho como representação gráfica
Escrita como representação da fala.
Participação em situações que envolvam a necessidade de explicar e argumentar suas idéias e pontos de vista.
Escrita do próprio nome em situações que isso é necessário.
Produção de textos individuais e/ou coletivos ditados oralmente ao professor para devidos fins.
Prática de escrita de próprio punho, utilizando o conhecimento de que dispõe, no momento, sobre o sistema de escrita em língua materna.


ATITUDINAIS
Valorização da linguagem oral como fonte de prazer e entretenimento.
Respeito pela produção própria e alheia.

MATEMÁTICA

OBJETIVOS GERAIS
Estabelecer aproximações a algumas noções matemáticas presentes no seu cotidiano.
Comunicar idéias matemáticas, hipóteses, estratégias, processos utilizados e resultados encontrados em situações – problema, utilizando a linguagem oral, corporal e matemática.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ter confiança em suas próprias estratégias e na sua capacidade para lidar com situações matemáticas novas, utilizando seus conhecimentos prévios.
Estabelecer relação temporal.
Explorar objetos em suas diferentes características.
Experimentar e discriminar as relações espaciais..

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Conhecimento e prática da escrita numérica.

PROCEDIMENTAIS
Utilização da contagem oral, de noções de quantidade, de tempo e de espaço em jogos, brincadeiras e músicas junto com o professor e nos diversos contextos nos quais as crianças reconheçam essa utilização como necessária.
Manipulação e exploração de objetos e brinquedos, em situações organizadas de forma a existirem quantidades individuais suficientes para que cada criança possa descobrir as características e propriedades principais (textura, peso, consistência, cor, forma, altura, tamanho) e suas possibilidades associativas: empilhar, rolar, transvasar, encaixar, lançar, comparar, classificar e ordenar).
Marcação do tempo por meio de calendário, em diferentes contextos (antes/depois, ontem/hoje/amanhã, dia/noite, manhã/tarde/noite, velho/novo, dia/semana/mês/ano).
Experiências com dinheiro em brincadeiras ou em situações de interesse das crianças.
Explicitação e/ou representação da posição de pessoas e objetos, utilizando vocabulário pertinente nos jogos, nas brincadeiras e nas diversas situações nas quais as crianças considerarem necessário essa ação.
Exploração e identificação de propriedades geométricas de objetos e figuras, como formas, tipos de contornos, bi dimensionalidade, tridimensionalidade, faces planas, lados retos, etc.
Identificação de pontos de referencia para situar-se e deslocar-se no espaço (para a frente, para trás, para cima, para baixo, para o lado).
Comunicação de quantidades, utilizando a linguagem oral, a notação numérica e/ou registros não convencionais.
Utilização de objetos para exploração de suas possibilidades associativas (empilhar, rolar, encaixar, igualdades e diferenças, comparar, classificar, ordenar, sequênciar, seriar, quantificar).

NATUREZA E SOCIEDADE

OBJETIVOS GERAIS
Explorar o ambiente, manifestando interesse e curiosidade pelo mundo social, natural e cultural.
Desenvolver a autonomia e a interação com o meio ambiente, valorizando sua importância para a preservação das espécies e qualidade de vida.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Explorar o ambiente, para que possa se relacionar com as pessoas, estabelecer contato com pequenos animais, com plantas e com objetos diversos, manifestando curiosidade e interesse.
Conhecer e valorizar valores humanos.
Experimentar situações em que possa explorar e conhecer a si mesma e o mundo, por meio de descobertas e novos desafios.
Interessar-se e demonstrar curiosidade pelo mundo social e natural, formulando perguntas, imaginando soluções para compreende-los, manifestando opiniões próprias sobre os acontecimentos, buscando informações e confrontando idéias.
Conhecer as propriedades dos objetos e substancias.
Perceber as etapas de transformação das plantas, animais, objetos e ambiente.
Classificar e seriar animais, plantas e materiais diversos.
Conhecer noções básicas de higiene, nutrição e segurança dos seres vivos.
Valorizar o sentimento de pertinência a escola, a cidade e ao pais.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Conhecimento dos fenômenos da natureza;
Conhecimento da origem da escola e seu patrono;
Conhecimento e valorização dos símbolos nacionais;
Conhecimento e exploração de algumas propriedades dos objetivos e substancias por meio da experimentação ( tempo, peso, tamanho, forma, odor, cor, som, consistência, textura, espessura, luz, mistura, transformações, estado da matéria, força magnética) e de relação de causa e efeito.
Conhecimento de modos de ser, viver

PROCEDIMENTAIS
Participação em atividades que envolvam histórias, brincadeiras, jogos e canções que digam respeito às tradições culturais de sua comunidade e de outros grupos.
Contato com pequenos animais e plantas.
Desenvolvimento de atitudes, manutenção e preservação dos espaços coletivos.
Exploração de diferentes objetos, de suas propriedades (som, odor, forma, tamanho, textura, peso, consistência, movimento, temperatura) e de relações simples de causa (a ação da criança) e efeito (a relação dos objetos).

MÚSICA

OBJETIVOS GERAIS
Explorar a linguagem musical atendendo as necessidades de expressão da criança em sua esfera afetiva, estética e cognitiva.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ouvir, perceber e discriminar sons diversos, fontes sonoras e produções musicais.
Brincar com a música, imitar, inventar e reproduzir criações musicais.
Perceber as variações de ritmo por meio de dança, palmas, instrumentos, corridas, batimentos de mãos e pés e movimentos dirigidos.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Ampliação do repertório musical com canções do cancioneiro popular e obras musicais variadas (erudita e popular).

PROCEDIMENTAIS
Exploração, expressão e produção do silencio e de sons com a voz, o corpo, o entorno e materiais sonoros diversos.
Interpretação de músicas e canções diversas.
Participação em brincadeiras e jogos cantados e rítmicos.
Escuta de obras musicais variadas.
Participação em situações que integrem musicas, canções e movimentos corporais.
Exercícios de percepção auditiva para distinguir silêncio e sons do ambiente.
Brincadeiras com a produção de sons vocais diversos, imitando, criando e se comunicando através da linguagem musical.

ARTES VISUAIS

OBJETIVOS GERAIS
Garantir oportunidades para que as crianças desenvolvam a imaginação criadora, a expressão, a sensibilidade e a comunicação.
Ampliar o conhecimento de mundo em relação às diversas formas de expressão artística.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ampliar o conhecimento de mundo que possuem, manipulando diferentes objetos e materiais, explorando suas características, propriedades e possibilidades de manuseio e entrando em contato com formas diversas de expressão artística.
Utilizar diversos materiais gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar suas possibilidades de expressão e comunicação.
Interessar-se pelas próprias produções e pelas de outras crianças.
Estimular o respeito pelo processo de produção e criação.
Trabalhar individualmente e coletivamente.
Explorar diversos movimentos gestuais, visando representação gráficas.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS

PROCEDIMENTAIS
Exploração e manipulação de materiais, como lápis e pinceis de diferentes texturas e espessuras, brochas, carvão, carimbo, etc;de meios, como tintas, água, areia, terra, argila, etc;e de variados suportes gráficos, como jornal, papel, papelão, parede, chão, caixas, madeiras, etc.
Exploração e reconhecimento de diferentes movimentos gestuais, visando a produção de marcas gráficas.
Observação e identificação de imagens diversas: pessoas, animais, objetos, cenas, cores e formas.

ATITUDINAIS

Cuidado com o próprio corpo e dos colegas no contato com os suportes e materiais de artes.
Cuidado com os materiais e objetos produzidos. individualmente ou em grupo.


JARDIM II

IDENTIDADE E AUTONOMIA

OBJETIVOS GERAIS
Possibilitar que a criança construa a sua identidade e autonomia, por meio das brincadeiras, das interações socioculturais e da vivência de diferentes situações, levando-se em conta a sua capacidade de tomar decisões respeitando regras e valores pessoais e coletivos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ter uma imagem positiva de si, ampliando sua autoconfiança, identificando cada vez mais suas limitações e possibilidades, e agindo de acordo com elas, familiarizando-se com a imagem do próprio corpo.
Identificar e enfrentar situações de conflitos utilizando seus recursos pessoais, respeitando as outras crianças e adultos e exigindo reciprocidade.
Valorizar ações de cooperação e solidariedade, desenvolvendo atitudes de ajuda e colaboração e compartilhando suas vivências.
Brincar.
Adotar hábitos de autocuidado, valorizando as atitudes relacionadas com a higiene, alimentação, conforto, segurança, proteção do corpo e cuidados com a aparência.
Identificar e compreender a sua pertinência aos diversos grupos dos quais participam, respeitando suas regras básicas de convívio social e diversidade que os compõe.
Trabalhar individualmente e em pequeno grupo.
Desenvolver a independência, a autoconfiança e a auto-estima.
Envolver-se em relação de troca e cooperação.
Reconhecer e preservar os diversos materiais.
Começar a fazer e respeitar regras simples.
Identificar-se no seu papel sexual.
Participar da organização da rotina diária.
Desenvolver relações sócio-afetivas.
Expressar seus desejos, sentimentos e vontades, agindo com progressiva autonomia.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Conhecimento, respeito e utilização de algumas regras elementares de convívio social.
Identificação progressiva de algumas singularidades próprias e das pessoas com as quais convive no seu cotidiano em situações de interação.
Identificação de situações de risco no seu ambiente mais próximo, utilizando procedimentos básicos de prevenção a acidentes e autocuidados.
Identificação de situações de risco no seu ambiente mais próximo, utilizando procedimentos básicos de prevenção a acidentes e autocuidado.

PROCEDIMENTAIS
Iniciativa para resolver pequenos problemas do cotidiano, pedindo ajuda se necessário.
Participação e situações de brincadeira nas quais as crianças escolham os parceiros, os objetos, os temas, o espaço e as personagens.
Participação de meninos e meninas igualmente em brincadeiras de futebol, casinha, pular corda, etc.
Participação na realização de pequenas tarefas do cotidiano que envolvam ações de cooperação, solidariedade e ajuda na relação com os outros.
Procedimentos relacionados à alimentação e à higiene das mãos, cuidado e limpeza pessoal das várias partes do corpo.
Utilização adequada dos sanitários.
Procedimentos básicos de prevenção à acidentes e autocuidado.
Expressão, manifestação e controle progressivo de suas necessidades, desejos e sentimentos em situações cotidianas.
Identificação progressiva de algumas singularidades próprias e das pessoas com as quais convive no seu cotidiano em situações de interação.
Participação em situações que envolvam a combinação de algumas regras de convivência em grupo e aquelas referentes ao uso dos materiais e do espaço, quando isso for pertinente.
Participação em trabalhos produzidos individualmente e em pequenos grupos e utilização adequada dos materiais.
Interessar-se em experimentar novos alimentos.

ATITUDINAIS
Valorização do diálogo como uma forma de lidar com os conflitos.
Respeito às características pessoais relacionadas ao gênero etnia, peso, estatura etc.
Valorização da limpeza e aparência pessoal.
Respeito e valorização da cultura do seu grupo de origem e de outros grupos.
Valorização dos cuidados com os materiais de uso e coletivo.

MOVIMENTO

OBJETIVOS GERAIS
Permitir que as crianças atuem sobre o meio físico, social e cultural, expressando seus sentimentos, emoções e pensamentos, conhecendo gradativamente os limites e potencialidades de seu corpo.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ampliar as possibilidades expressivas do próprio movimento, utilizando gestos diversos e o ritmo corporal nas brincadeiras, danças, jogos e demais situações de interação.
Explorar diferentes qualidades e dinâmicas do movimento, como força, velocidade, resistência e flexibilidade, conhecendo gradativamente os limites e as potencialidades de seu corpo.
Controlar gradualmente o próprio movimento, aperfeiçoamento seus recursos de deslocamento e ajustando suas habilidades motoras para a utilização em jogos, brincadeiras, danças e demais situações.
Utilizar os movimentos de preensão, encaixe, lançamento, etc para ampliar suas possibilidades de manuseio de diferentes materiais e objetos.
Apropriar-se progressivamente da imagem global de seu corpo, conhecendo e identificando seus segmentos e elementos e desenvolvendo cada vez mais uma atitude de interesse e cuidado com o próprio corpo.
Perceber igualdades e diferenças na manipulação de materiais, explorando suas possibilidades.

CONTEÚDOS
CONCEITUAIS
Reconhecimento progressivo do corpo humano.

PROCEDIMENTAIS
Utilização expressiva intencional do movimento nas situações cotidianas e brincadeiras.
Percepção de estruturas rítmicas para expressar-se corporalmente por meio da dança, brincadeiras e de outros movimentos.
Percepção das sensações, limites, potencialidades, sinais vitais e integridade do próprio corpo.
Participação em brincadeiras e jogos que envolvam correr, subir, descer, escorregar, pendurar-se, movimentar-se, dançar, etc, para ampliar gradualmente o conhecimento e controle sobre o corpo e movimento.
Utilização dos recursos de deslocamento e das habilidades de força, velocidade, resistência e flexibilidade nos jogos e brincadeiras dos quais participa.
Manipulação de materiais, objetos e brinquedos diversos para aperfeiçoamento de suas habilidades manuais.
Coordenação e controle da motricidade gráfica e das habilidades motoras finas, por meio da manipulação de materiais, aperfeiçoando mecanismo de preensão, encaixe e o traçado.
Exploração de diferentes posturas corporais, nas quais as crianças experimente com o corpo noções de equilíbrio, impulso, força, velocidade, flexibilidade e direção..


ATITUDINAIS
Valorização das conquistas corporais.

LINGUAGEM ORAL E ESCRITA

OBJETIVOS GERAIS
Ampliar as possibilidades da criança de inserção, participação e interação nas diversas práticas sociais.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ampliar gradativamente suas possibilidades de comunicação e expressão, interessando-se por conhecer vários gêneros orais e escritos e participando de diversas situações de intercambio social nas quais possa contar suas vivencias, ouvir as de outras pessoas, elaborar e responder perguntas.
Familiarizar-se com a leitura e escrita por meio do manuseio de livros, revistas e outros portadores de texto e da vivencia de diversas situações nas quais seu uso se faça necessário.
Escutar textos lidos, apreciando a leitura feita pelo professor.
Interessar-se por escrever palavras e textos ainda que não de forma convencional.
Reconhecer seu nome escrito, sabendo identifica-lo nas diversas situações do cotidiano.
Escolher os livros para ler e apreciar.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Relato de experiência vivida e narradas de fatos em seqüência temporal e causal.
Reconto de histórias conhecidas com aproximação às características da historia original no que se refere à descrição de personagens, cenários e objetos.
Conhecimento e reprodução oral de jogos verbais, como trava-línguas, parlendas, adivinhas, quadrinhas, poemas e canções.
Reconhecimento do próprio nome dentro do conjunto de nomes do grupo nas situações em que isso se fizer necessário.
Reconhecimento de letras
Reconhecimento e prática da leitura.

PROCEDIMENTAIS
Uso da linguagem oral para conversar, comunicar-se, relatar suas vivências e expressar desejos, vontades, necessidades e sentimentos, nas diversas situações de interação presentes no cotidiano;
Elaboração de perguntas e respostas de acordo com os diversos contextos que participa.
Observação e manuseio de materiais impressos, como livros, revistas, histórias em quadrinhos, etc;
Participação em situações de leitura de diferentes gêneros feita pelos adultos, como contos, poemas, parlendas, trava-língua, etc
Participação em situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da escrita;
Escrita como representação da fala.
Participação em situações que envolvam a necessidade de explicar e argumentar suas idéias e pontos de vista.
Escrita do próprio nome em situações que isso é necessário.
Produção de textos individuais e/ou coletivos ditados oralmente ao professor para devidos fins.
Prática de escrita de próprio punho, utilizando o conhecimento de que dispõe, no momento, sobre o sistema de escrita em língua materna.
Participação nas situações em que os adultos lêem textos de diferentes gêneros, como contos, poemas, noticias de jornal, informativos, parlendas, trava-línguas, etc.
Participação em situações em que as crianças leiam, ainda que não o façam de maneira convencional.



ATITUDINAIS
Valorização da linguagem oral como fonte de prazer e entretenimento.
Respeito pela produção própria e alheia.

MATEMÁTICA

OBJETIVOS GERAIS
Estabelecer aproximações a algumas noções matemáticas presentes no seu cotidiano.
Comunicar idéias matemáticas, hipóteses, estratégias, processos utilizados e resultados encontrados em situações – problema, utilizando a linguagem oral, corporal e matemática.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ter confiança em suas próprias estratégias e na sua capacidade para lidar com situações matemáticas novas, utilizando seus conhecimentos prévios.
Reconhecer e valorizar os números, as operações numéricas, as contagens orais e as noções espaciais como ferramentas necessárias no seu cotidiano.
Comunicar idéias matemáticas, hipóteses, processos utilizados e resultados encontrados em situações-problema relativas a quantidades,espaço físico e medida,utilizando a linguagem oral e linguagem matemática.


CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Conhecimento e prática da escrita numérica.

PROCEDIMENTAIS
Utilização da contagem oral, de noções de quantidade, de tempo e de espaço em jogos, brincadeiras e músicas junto com o professor e nos diversos contextos nos quais as crianças reconheçam essa utilização como necessária.
Marcação do tempo por meio de calendário, em diferentes contextos (antes/depois, ontem/hoje/amanhã, dia/noite, manhã/tarde/noite, velho/novo, dia/semana/mês/ano).
Comunicação de quantidades, utilizando a linguagem oral, a notação numérica e/ou registros não convencionais.
Utilização de noções simples de calculo mental como ferramenta para resolver problemas.
Identificação da posição de um objeto ou número numa série, explicitando a noção de sucessor e antecessor.
Identificação de números nos diferentes contextos em que se encontram.
Comparação de escritas numéricas, identificando algumas regularidades.
Exploração de diferentes procedimentos para comparar grandezas.
Introdução às noções de medida de comprimento, peso, volume, tempo, pela utilização de unidades convencionais e não convencionais.
Identificação e comparação de números (quantidades) e numerais (escritas numéricas).
Experiências com dinheiro em brincadeiras ou em situações de interesse das crianças.
Explicitação e/ou representação da posição de pessoas e objetos, utilizando vocabulário pertinente nos jogos, nas brincadeiras e nas diversas situações nas quais as crianças considerarem necessário essa ação.
Exploração e identificação de propriedades geométricas de objetos e figuras, como formas, tipos de contornos, bi dimensionalidade, tridimensionalidade, faces planas, lados retos, etc.
Representações bidimensionais e tridimensionais de objetos.
Identificação de pontos de referencia para situar-se e deslocar-se no espaço.
Descrição e representação de pequenos percursos e trajetos, observando pontos de referência.

NATUREZA E SOCIEDADE

OBJETIVOS GERAIS
Explorar o ambiente, manifestando interesse e curiosidade pelo mundo social, natural e cultural.
Desenvolver a autonomia e a interação com o meio ambiente, valorizando sua importância para a preservação das espécies e qualidade de vida.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Interessar-se e demonstrar curiosidade pelo mundo social e natural, formulando perguntas, imaginando soluções para compreende-los, manifestando opiniões próprias sobre os acontecimentos, buscando informações e confrontando idéias.
Estabelecer algumas relações entre o modo de vida característico de seu grupo social e de outros grupos.
Estabelecer algumas relações entre o meio ambiente e as formas de vida que ali se estabelecem, valorizando sua importância para a preservação das espécies e para a qualidade da vida humana.


CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Conhecimento de locais que guardam informações, como bibliotecas, museus, etc.
Conhecimento de modos de ser, viver e trabalhar de alguns grupos sociais do presente e do passado.
Identificação de alguns papéis sociais existentes em seus grupos de convívio, dentro e fora da instituição.
Reconhecimento de algumas características de objetos produzidos em diferentes épocas e por diferentes grupos sociais.
Conhecimento de algumas propriedades dos objetos: refletir, ampliar ou inverter as imagens, produzir, transmitir ou ampliar sons, propriedades ferro magnéticas, etc.
Estabelecimento de algumas relações entre diferentes espécies de seres vivos, suas características e suas necessidades vitais.
Conhecimento dos cuidados básicos de pequenos animais e vegetais por meio da sua criação e cultivo.
Conhecimento de algumas espécies da fauna e da flora brasileira e mundial.
Estabelecimento de relações entre os fenômenos da natureza de diferentes regiões (relevo, rios, chuvas, secas, etc.), e as formas de vida dos grupos sociais que ali vivem.

PROCEDIMENTAIS
Participação em atividades que envolvam histórias, brincadeiras, jogos e canções que digam respeito às tradições culturais de sua comunidade e de outros grupos.
Contato com pequenos animais e plantas.
Exploração de diferentes objetos, de suas propriedades (som, odor, forma, tamanho, textura, peso, consistência, movimento, temperatura) e de relações simples de causa (a ação da criança) e efeito (a relação dos objetos).
Formulação de perguntas.
Participação ativa na resolução de problemas.
Estabelecimento de algumas relações simples na comparação de dados.
Formulação coletiva e individual de conclusões e explicações sobre o tema em questão.
Utilização com a ajuda do professor, de diferentes fontes para buscar informações, como objetos, fotografias, documentários, relatos de pessoas, livros, mapas, etc.
Utilização da observação direta e com uso de instrumentos, como binóculos, lupas, microscópios, etc., para obtenção de dados e informações.
Leitura e interpretação de registros, como desenhos, fotografias e maquetes.
Registro das informações, utilizando diferentes formas: desenhos, textos orais ditados ao professor, comunicação oral registrada em gravador ou filmagens, etc.
Observação da paisagem local.
Utilização, com ajuda dos adultos de fotos, relatos e outros registros para observação de mudanças ocorridas nas paisagens ao longo do tempo.
Participação em atividades que envolvam processo de confecção de objetos.
Percepção dos cuidados necessários com o corpo, à prevenção de acidentes e à saúde de forma geral.
Percepção dos cuidados necessários à preservação da vida e do ambiente.
Participação em diferentes atividades envolvendo a observação e a pesquisa sobre a ação de luz, calor, sol, força e movimento.

ATITUDINAIS
Valorização do patrimônio cultural do seu grupo social e interesse por conhecer diferentes formas de expressão cultural.
Valorização de atitudes de manutenção e preservação dos espaços coletivos e do meio ambiente.
Cuidados no uso de objetos do cotidiano, relacionando à segurança e preservação de acidentes, e à sua conservação.
Valorização da vida nas situações que impliquem cuidados prestados a animais e plantas.
Valorização de atitudes relacionadas à saúde e ao bem-estar individual e coletivo.



MÚSICA

OBJETIVOS GERAIS
Explorar a linguagem musical atendendo as necessidades de expressão da criança em sua esfera afetiva, estética e cognitiva.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Explorar e identificar elementos da música para se expressar, interagir com os outros e ampliar seu conhecimento do mundo.
Perceber e expressar sensações, sentimentos e pensamentos, por meio de improvisações, composições e interpretações musicais.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Reconhecimento de elementos musicais básicos: frases, partes, elementos que se repetem e etc. (a forma)
Informações sobre as obras ouvidas e seus compositores para iniciar seus conhecimentos sobre a produção musical.

PROCEDIMENTAIS
Reconhecimento e utilização expressiva, em contextos musicais das diferentes características geradas pelo silencio e pelos sons: altura (graves e agudos), duração (curtos e longos), intensidade (fracos ou fortes) e timbre (característica que distingue e “personaliza” cada som).
Reconhecimento e utilização das variações de velocidade e densidade na organização e realização de algumas produções musicais.
Participações em jogos e brincadeiras que envolvam a dança e/ou a improvisação musical.
Repertório de canções para desenvolver a memória musical.
Escuta de obras musicais de diversos gêneros, estilos, épocas e culturas, da produção musical brasileira e de outros povos e países.


ARTES VISUAIS

OBJETIVOS GERAIS
Garantir oportunidades para que as crianças desenvolvam a imaginação criadora, a expressão, a sensibilidade e a comunicação.
Ampliar o conhecimento de mundo em relação às diversas formas de expressão artística.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ampliar o conhecimento de mundo que possuem, manipulando diferentes objetos e materiais, explorando suas características, propriedades e possibilidades de manuseio e entrando em contato com formas diversas de expressão artística.
Utilizar diversos materiais gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar suas possibilidades de expressão e comunicação.
Interessar-se pelas próprias produções e pelas de outras crianças e pelas diversas obras artísticas (regionais, nacionais ou internacionais) com as quais entrem em contato, ampliando seu conhecimento do mundo e da cultura.
Estimular o respeito pelo processo de produção e criação.
Trabalhar individualmente e coletivamente.
Explorar diversos movimentos gestuais, visando representação gráfica.
Produzir trabalhos de arte, utilizando a linguagem do desenho, da pintura, da modelagem, da colagem, da construção, desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo processo de produção e criação.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Conhecimento da diversidade de produções artísticas, como desenhos, pinturas, esculturas, construções, fotografia, colagens, ilustrações, cinema, etc.

PROCEDIMENTAIS
Exploração e manipulação de materiais, como lápis e pinceis de diferentes texturas e espessuras, brochas, carvão, carimbo, etc;de meios, como tintas, água, areia, terra, argila, etc;e de variados suportes gráficos, como jornal, papel, papelão, parede, chão, caixas, madeiras, etc.
Exploração e reconhecimento de diferentes movimentos gestuais, visando a produção de marcas gráficas.
Observação e identificação de imagens diversas: pessoas, animais, objetos, cenas, cores e formas.
Criação de desenhos, pinturas, colagens, modelagens a partir de seu próprio repertório e da utilização dos elementos da linguagem das Artes Visuais: ponto, linha, forma, cor, volume, espaço, textura etc.
Exploração e utilização de alguns procedimentos necessários para desenhar, pintar, modelar etc.
Exploração e aprofundamento das possibilidades oferecidas pelos diversos materiais, instrumentos e suportes necessários para o fazer artístico.
Exploração dos espaços bidimensionais e tridimensionais na realização de seus projetos artísticos.
Apreciação das suas produções e das dos outros, por meio da observação e leitura de alguns elementos da linguagem plástica.
Observação dos elementos constituintes da linguagem visual: ponto, linha, forma, cor, volume, contrastes, luz, texturas.
Leituras de obras de arte a partir da observação, narração, descrição e interpretação de imagens e objetos.
Apreciação das Artes Visuais e estabelecimento de correlação com experiências pessoais.


ATITUDINAIS

Cuidado com o próprio corpo e dos colegas no contato com os suportes e materiais de artes.
Cuidado com os materiais e objetos produzidos. individualmente ou em grupo.

PRÉ – ESCOLA
IDENTIDADE E AUTONOMIA

OBJETIVOS GERAIS
Possibilitar que a criança construa a sua identidade e autonomia, por meio das brincadeiras, das interações socioculturais e da vivência de diferentes situações, levando-se em conta a sua capacidade de tomar decisões respeitando regras e valores pessoais e coletivos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ter uma imagem positiva de si, ampliando sua autoconfiança, identificando cada vez mais suas limitações e possibilidades, e agindo de acordo com elas, familiarizando-se com a imagem do próprio corpo.
Identificar e enfrentar situações de conflitos utilizando seus recursos pessoais, respeitando as outras crianças e adultos e exigindo reciprocidade.
Valorizar ações de cooperação e solidariedade, desenvolvendo atitudes de ajuda e colaboração e compartilhando suas vivências.
Brincar.
Adotar hábitos de autocuidado, valorizando as atitudes relacionadas com a higiene, alimentação, conforto, segurança, proteção do corpo e cuidados com a aparência.
Identificar e compreender a sua pertinência aos diversos grupos dos quais participam, respeitando suas regras básicas de convívio social e diversidade que os compõe.
Trabalhar individualmente e em pequeno grupo.
Desenvolver a independência, a autoconfiança e a auto-estima.
Envolver-se em relação de troca e cooperação.
Reconhecer e preservar os diversos materiais.
Começar a fazer e respeitar regras simples.
Identificar-se no seu papel sexual.
Participar da organização da rotina diária.
Desenvolver relações sócio-afetivas.
Expressar seus desejos, sentimentos e vontades, agindo com progressiva autonomia.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Conhecimento, respeito e utilização de algumas regras elementares de convívio social.
Identificação progressiva de algumas singularidades próprias e das pessoas com as quais convive no seu cotidiano em situações de interação.

PROCEDIMENTAIS
Iniciativa para resolver pequenos problemas do cotidiano, pedindo ajuda se necessário.
Participação e situações de brincadeira nas quais as crianças escolham os parceiros, os objetos, os temas, o espaço e as personagens.
Participação de meninos e meninas igualmente em brincadeiras de futebol, casinha, pular corda, etc.
Participação na realização de pequenas tarefas do cotidiano que envolvam ações de cooperação, solidariedade e ajuda na relação com os outros.
Procedimentos relacionados à alimentação e à higiene das mãos, cuidado e limpeza pessoal das várias partes do corpo.
Utilização adequada dos sanitários.
Procedimentos básicos de prevenção à acidentes e autocuidado.
Expressão, manifestação e controle progressivo de suas necessidades, desejos e sentimentos em situações cotidianas.
Identificação progressiva de algumas singularidades próprias e das pessoas com as quais convive no seu cotidiano em situações de interação.
Participação em situações que envolvam a combinação de algumas regras de convivência em grupo e aquelas referentes ao uso dos materiais e do espaço, quando isso for pertinente.
Participação em trabalhos produzidos individualmente e em pequenos grupos e utilização adequada dos materiais.
Interessar-se em experimentar novos alimentos.

ATITUDINAIS
Valorização do diálogo como uma forma de lidar com os conflitos.
Respeito às características pessoais relacionadas ao gênero etnia, peso, estatura etc.
Valorização da limpeza e aparência pessoal.
Respeito e valorização da cultura do seu grupo de origem e de outros grupos.
Valorização dos cuidados com os materiais de uso e coletivo.

MOVIMENTO

OBJETIVOS GERAIS
Permitir que as crianças atuem sobre o meio físico, social e cultural, expressando seus sentimentos, emoções e pensamentos, conhecendo gradativamente os limites e potencialidades de seu corpo.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ampliar as possibilidades expressivas do próprio movimento, utilizando gestos diversos e o ritmo corporal nas brincadeiras, danças, jogos e demais situações de interação.
Explorar diferentes qualidades e dinâmicas do movimento, como força, velocidade, resistência e flexibilidade, conhecendo gradativamente os limites e as potencialidades de seu corpo.
Controlar gradualmente o próprio movimento, aperfeiçoamento seus recursos de deslocamento e ajustando suas habilidades motoras para a utilização em jogos, brincadeiras, danças e demais situações.
Utilizar os movimentos de preensão, encaixe, lançamento, etc para ampliar suas possibilidades de manuseio de diferentes materiais e objetos.
Apropriar-se progressivamente da imagem global de seu corpo, conhecendo e identificando seus segmentos e elementos e desenvolvendo cada vez mais uma atitude de interesse e cuidado com o próprio corpo.
Perceber igualdades e diferenças na manipulação de materiais, explorando suas possibilidades.

CONTEÚDOS
CONCEITUAIS
Reconhecimento progressivo do corpo humano.

PROCEDIMENTAIS
Utilização expressiva intencional do movimento nas situações cotidianas e brincadeiras.
Percepção de estruturas rítmicas para expressar-se corporalmente por meio da dança, brincadeiras e de outros movimentos.
Percepção das sensações, limites, potencialidades, sinais vitais e integridade do próprio corpo.
Participação em brincadeiras e jogos que envolvam correr, subir, descer, escorregar, pendurar-se, movimentar-se, dançar, etc, para ampliar gradualmente o conhecimento e controle sobre o corpo e movimento.
Utilização dos recursos de deslocamento e das habilidades de força, velocidade, resistência e flexibilidade nos jogos e brincadeiras dos quais participa.
Manipulação de materiais, objetos e brinquedos diversos para aperfeiçoamento de suas habilidades manuais.
Coordenação e controle da motricidade gráfica e das habilidades motoras finas, por meio da manipulação de materiais, aperfeiçoando mecanismo de preensão, encaixe e o traçado.
Exploração de diferentes posturas corporais, nas quais as crianças experimente com o corpo noções de equilíbrio, impulso, força, velocidade, flexibilidade e direção..


ATITUDINAIS
Valorização das conquistas corporais.

LINGUAGEM ORAL E ESCRITA

OBJETIVOS GERAIS
Ampliar as possibilidades da criança de inserção, participação e interação nas diversas práticas sociais.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ampliar gradativamente suas possibilidades de comunicação e expressão, interessando-se por conhecer vários gêneros orais e escritos e participando de diversas situações de intercambio social nas quais possa contar suas vivencias, ouvir as de outras pessoas, elaborar e responder perguntas.
Familiarizar-se com a leitura e escrita por meio do manuseio de livros, revistas e outros portadores de texto e da vivencia de diversas situações nas quais seu uso se faça necessário.
Escutar textos lidos, apreciando a leitura feita pelo professor.
Interessar-se por escrever palavras e textos ainda que não de forma convencional.
Reconhecer seu nome escrito, sabendo identifica-lo nas diversas situações do cotidiano.
Escolher os livros para ler e apreciar.
Estabelecer diálogo, expressando-se de forma clara e organizada.
Ler: placas, símbolos, marcas, rótulos, figuras. Ler e registrar atividades por meio de símbolos individuais e coletivos.
Construir textos.
Vivenciar situações para a aquisição da base alfabética.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Relato de experiência vivida e narradas de fatos em seqüência temporal e causal.
Reconto de histórias conhecidas com aproximação às características da historia original no que se refere à descrição de personagens, cenários e objetos.
Conhecimento e reprodução oral de jogos verbais, como trava-línguas, parlendas, adivinhas, quadrinhas, poemas e canções.
Reconhecimento do próprio nome dentro do conjunto de nomes do grupo nas situações em que isso se fizer necessário.
Reconhecimento de letras
Reconhecimento e prática da leitura.


PROCEDIMENTAIS
Uso da linguagem oral para conversar, comunicar-se, relatar suas vivências e expressar desejos, vontades, necessidades e sentimentos, nas diversas situações de interação presentes no cotidiano;
Elaboração de perguntas e respostas de acordo com os diversos contextos que participa.
Observação e manuseio de materiais impressos, como livros, revistas, histórias em quadrinhos, etc;
Participação em situações de leitura de diferentes gêneros feita pelos adultos, como contos, poemas, parlendas, trava-língua, etc
Participação em situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da escrita;
Escrita como representação da fala.
Participação em situações que envolvam a necessidade de explicar e argumentar suas idéias e pontos de vista.
Escrita do próprio nome em situações que isso é necessário.
Produção de textos individuais e/ou coletivos ditados oralmente ao professor para devidos fins.
Prática de escrita de próprio punho, utilizando o conhecimento de que dispõe, no momento, sobre o sistema de escrita em língua materna.
Participação nas situações em que os adultos lêem textos de diferentes gêneros, como contos, poemas, noticias de jornal, informativos, parlendas, trava-línguas, etc.
Participação em situações em que as crianças leiam, ainda que não o façam de maneira convencional.
Observação e manuseio de materiais impressos, como livros, revistas, histórias em quadrinhos, etc., previamente apresentados ao grupo.



ATITUDINAIS
Valorização da linguagem oral como fonte de prazer e entretenimento.
Respeito pela produção própria e alheia.

MATEMÁTICA

OBJETIVOS GERAIS
Estabelecer aproximações a algumas noções matemáticas presentes no seu cotidiano.
Comunicar idéias matemáticas, hipóteses, estratégias, processos utilizados e resultados encontrados em situações – problema, utilizando a linguagem oral, corporal e matemática.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ter confiança em suas próprias estratégias e na sua capacidade para lidar com situações matemáticas novas, utilizando seus conhecimentos prévios.
Reconhecer e valorizar os números, as operações numéricas, as contagens orais e as noções espaciais como ferramentas necessárias no seu cotidiano.
Comunicar idéias matemáticas, hipóteses, processos utilizados e resultados encontrados em situações-problema relativas a quantidades,espaço físico e medida,utilizando a linguagem oral e linguagem matemática.
Utilizar cálculos simples.
Identificar e trabalhar com cédulas e moedas em atividades práticas.


CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Conhecimento e prática da escrita numérica.
Utilização de noções simples de cálculo mental como ferramenta para resolver problemas.
Comunicação de quantidades, utilizando a linguagem oral, a notação numérica e/ou registros não convencionais.
Introdução às noções de medidas de comprimento, peso, volume e tempo, pela utilização de unidades convencionais e não convencionais.


PROCEDIMENTAIS
Utilização da contagem oral, de noções de quantidade, de tempo e de espaço em jogos, brincadeiras e músicas junto com o professor e nos diversos contextos nos quais as crianças reconheçam essa utilização como necessária.
Marcação do tempo por meio de calendário, em diferentes contextos (antes/depois, ontem/hoje/amanhã, dia/noite, manhã/tarde/noite, velho/novo, dia/semana/mês/ano).
Comunicação de quantidades, utilizando a linguagem oral, a notação numérica e/ou registros não convencionais.
Utilização de noções simples de calculo mental como ferramenta para resolver problemas.
Identificação da posição de um objeto ou número numa série, explicitando a noção de sucessor e antecessor.
Identificação de números nos diferentes contextos em que se encontram.
Comparação de escritas numéricas, identificando algumas regularidades.
Exploração de diferentes procedimentos para comparar grandezas.
Introdução às noções de medida de comprimento, peso, volume, tempo, pela utilização de unidades convencionais e não convencionais.
Identificação e comparação de números (quantidades) e numerais (escritas numéricas).
Experiências com dinheiro em brincadeiras ou em situações de interesse das crianças.
Explicitação e/ou representação da posição de pessoas e objetos, utilizando vocabulário pertinente nos jogos, nas brincadeiras e nas diversas situações nas quais as crianças considerarem necessário essa ação.
Exploração e identificação de propriedades geométricas de objetos e figuras, como formas, tipos de contornos, bi dimensionalidade, tridimensionalidade, faces planas, lados retos, etc.
Representações bidimensionais e tridimensionais de objetos.
Identificação de pontos de referencia para situar-se e deslocar-se no espaço.
Descrição e representação de pequenos percursos e trajetos, observando pontos de referência.
Apresentação, manipulação e exploração dos sólidos geométricos (esfera, cubo, cone, paralelepípedo e cilindro).


NATUREZA E SOCIEDADE

OBJETIVOS GERAIS
Explorar o ambiente, manifestando interesse e curiosidade pelo mundo social, natural e cultural.
Desenvolver a autonomia e a interação com o meio ambiente, valorizando sua importância para a preservação das espécies e qualidade de vida.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Interessar-se e demonstrar curiosidade pelo mundo social e natural, formulando perguntas, imaginando soluções para compreende-los, manifestando opiniões próprias sobre os acontecimentos, buscando informações e confrontando idéias.
Estabelecer algumas relações entre o modo de vida característico de seu grupo social e de outros grupos.
Estabelecer algumas relações entre o meio ambiente e as formas de vida que ali se estabelecem, valorizando sua importância para a preservação das espécies e para a qualidade da vida humana.


CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Conhecimento de locais que guardam informações, como bibliotecas, museus, etc.
Conhecimento de modos de ser, viver e trabalhar de alguns grupos sociais do presente e do passado.
Identificação de alguns papéis sociais existentes em seus grupos de convívio, dentro e fora da instituição.
Reconhecimento de algumas características de objetos produzidos em diferentes épocas e por diferentes grupos sociais.
Conhecimento de algumas propriedades dos objetos: refletir, ampliar ou inverter as imagens, produzir, transmitir ou ampliar sons, propriedades ferro magnéticas, etc.
Estabelecimento de algumas relações entre diferentes espécies de seres vivos, suas características e suas necessidades vitais.
Conhecimento dos cuidados básicos de pequenos animais e vegetais por meio da sua criação e cultivo.
Conhecimento de algumas espécies da fauna e da flora brasileira e mundial.
Estabelecimento de relações entre os fenômenos da natureza de diferentes regiões (relevo, rios, chuvas, secas, etc.), e as formas de vida dos grupos sociais que ali vivem.

PROCEDIMENTAIS
Participação em atividades que envolvam histórias, brincadeiras, jogos e canções que digam respeito às tradições culturais de sua comunidade e de outros grupos.
Contato com pequenos animais e plantas.
Exploração de diferentes objetos, de suas propriedades (som, odor, forma, tamanho, textura, peso, consistência, movimento, temperatura) e de relações simples de causa (a ação da criança) e efeito (a relação dos objetos).
Formulação de perguntas.
Participação ativa na resolução de problemas.
Estabelecimento de algumas relações simples na comparação de dados.
Formulação coletiva e individual de conclusões e explicações sobre o tema em questão.
Utilização com a ajuda do professor, de diferentes fontes para buscar informações, como objetos, fotografias, documentários, relatos de pessoas, livros, mapas, etc.
Utilização da observação direta e com uso de instrumentos, como binóculos, lupas, microscópios, etc., para obtenção de dados e informações.
Leitura e interpretação de registros, como desenhos, fotografias e maquetes.
Registro das informações, utilizando diferentes formas: desenhos, textos orais ditados ao professor, comunicação oral registrada em gravador ou filmagens, etc.
Observação da paisagem local.
Utilização, com ajuda dos adultos de fotos, relatos e outros registros para observação de mudanças ocorridas nas paisagens ao longo do tempo.
Participação em atividades que envolvam processo de confecção de objetos.
Percepção dos cuidados necessários com o corpo, à prevenção de acidentes e à saúde de forma geral.
Percepção dos cuidados necessários à preservação da vida e do ambiente.
Participação em diferentes atividades envolvendo a observação e a pesquisa sobre a ação de luz, calor, sol, força e movimento.


ATITUDINAIS
Valorização do patrimônio cultural do seu grupo social e interesse por conhecer diferentes formas de expressão cultural.
Valorização de atitudes de manutenção e preservação dos espaços coletivos e do meio ambiente.
Cuidados no uso de objetos do cotidiano, relacionando à segurança e preservação de acidentes, e à sua conservação.
Valorização da vida nas situações que impliquem cuidados prestados a animais e plantas.
Valorização de atitudes relacionadas à saúde e ao bem-estar individual e coletivo.
Valores humanos.
Confronto entre suas idéias e as de outras crianças.

MÚSICA

OBJETIVOS GERAIS
Explorar a linguagem musical atendendo as necessidades de expressão da criança em sua esfera afetiva, estética e cognitiva.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Explorar e identificar elementos da música para se expressar, interagir com os outros e ampliar seu conhecimento do mundo.
Perceber e expressar sensações, sentimentos e pensamentos, por meio de improvisações, composições e interpretações musicais.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Reconhecimento de elementos musicais básicos: frases, partes, elementos que se repetem e etc. (a forma)
Informações sobre as obras ouvidas e seus compositores para iniciar seus conhecimentos sobre a produção musical.

PROCEDIMENTAIS
Reconhecimento e utilização expressiva, em contextos musicais das diferentes características geradas pelo silencio e pelos sons: altura (graves e agudos), duração (curtos e longos), intensidade (fracos ou fortes) e timbre (característica que distingue e “personaliza” cada som).
Reconhecimento e utilização das variações de velocidade e densidade na organização e realização de algumas produções musicais.
Participações em jogos e brincadeiras que envolvam a dança e/ou a improvisação musical.
Repertório de canções para desenvolver a memória musical.
Escuta de obras musicais de diversos gêneros, estilos, épocas e culturas, da produção musical brasileira e de outros povos e países.

ARTES VISUAIS

OBJETIVOS GERAIS
Garantir oportunidades para que as crianças desenvolvam a imaginação criadora, a expressão, a sensibilidade e a comunicação.
Ampliar o conhecimento de mundo em relação às diversas formas de expressão artística.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ampliar o conhecimento de mundo que possuem, manipulando diferentes objetos e materiais, explorando suas características, propriedades e possibilidades de manuseio e entrando em contato com formas diversas de expressão artística.
Utilizar diversos materiais gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar suas possibilidades de expressão e comunicação.
Interessar-se pelas próprias produções e pelas de outras crianças e pelas diversas obras artísticas (regionais, nacionais ou internacionais) com as quais entrem em contato, ampliando seu conhecimento do mundo e da cultura.
Estimular o respeito pelo processo de produção e criação.
Trabalhar individualmente e coletivamente.
Explorar diversos movimentos gestuais, visando representação gráfica.
Produzir trabalhos de arte, utilizando a linguagem do desenho, da pintura, da modelagem, da colagem, da construção, desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo processo de produção e criação.

CONTEÚDOS

CONCEITUAIS
Conhecimento da diversidade de produções artísticas, como desenhos, pinturas, esculturas, construções, fotografia, colagens, ilustrações, cinema, etc.

PROCEDIMENTAIS
Exploração e manipulação de materiais, como lápis e pinceis de diferentes texturas e espessuras, brochas, carvão, carimbo, etc;de meios, como tintas, água, areia, terra, argila, etc;e de variados suportes gráficos, como jornal, papel, papelão, parede, chão, caixas, madeiras, etc.
Exploração e reconhecimento de diferentes movimentos gestuais, visando a produção de marcas gráficas.
Observação e identificação de imagens diversas: pessoas, animais, objetos, cenas, cores e formas.
Criação de desenhos, pinturas, colagens, modelagens a partir de seu próprio repertório e da utilização dos elementos da linguagem das Artes Visuais: ponto, linha, forma, cor, volume, espaço, textura etc.
Exploração e utilização de alguns procedimentos necessários para desenhar, pintar, modelar etc.
Exploração e aprofundamento das possibilidades oferecidas pelos diversos materiais, instrumentos e suportes necessários para o fazer artístico.
Exploração dos espaços bidimensionais e tridimensionais na realização de seus projetos artísticos.
Apreciação das suas produções e das dos outros, por meio da observação e leitura de alguns elementos da linguagem plástica.
Observação dos elementos constituintes da linguagem visual: ponto, linha, forma, cor, volume, contrastes, luz, texturas.
Leituras de obras de arte a partir da observação, narração, descrição e interpretação de imagens e objetos.
Apreciação das Artes Visuais e estabelecimento de correlação com experiências pessoais.


ATITUDINAIS

Cuidado com o próprio corpo e dos colegas no contato com os suportes e materiais de artes.
Cuidado com os materiais e objetos produzidos. individualmente ou em grupo.

B) PLANO DE TRABALHO

Na escola, todos os servidores que entram em contato com os alunos, participam do ato educativo e são, portanto, importantes para o desenvolvimento do Projeto Pedagógico.

COORDENADOR:

-ser um mediador entre o sistema de ensino e a unidade escolar e entre esta e a comunidade local;

- manter-se atualizado com as políticas e diretrizes educacionais em nível nacional, estadual e municipal, socializando-as na escola;

- zelar pela organização administrativa e educacional, definida no Projeto Pedagógico da escola;

- manter organizados e atualizados os registros da escola, de maneira sistemática;

- preparar e propor orçamentos, incluindo previsão de custos e despesas;

- trabalhar a proposta do sistema de ensino cooperativamente com as comunidades escolar e local;

- exercer a liderança, encorajando, persuadindo e motivando tanto os profissionais da educação quanto os demais membros das comunidades escolar e local;

- conviver bem com a pluralidade cultural, ajudando a dissipar preconceitos;

- avaliar seu próprio conhecimento, suas capacidades e habilidades, bem como os daqueles que estão sob sua liderança;

- acompanhar e avaliar o desempenho de sua escola e informar ao sistema de ensino o quadro de vagas e transferências;

- zelar pela segurança de alunos, professores e funcionários e o patrimônio material e imaterial da escola;

- desenvolver e manter um clima organizacional democrático e participativo na escola;

- atuar em estreita consonância com profissionais sob sua responsabilidade, famílias e representantes da comunidade local, exercendo papel fundamental no sentido de garantir que a instituição realizem um trabalho de qualidade com as crianças que a freqüentam;

- assegurar que as crianças sob sua responsabilidade seja o principal foco das ações e das decisões tomadas;

- encaminhar aos serviços especializados os casos de crianças vítimas de violência ou maus-tratos;

- organizar e participar do processo de elaboração, registro em documentos escrito, implementação e avaliação das propostas pedagógicas, com o envolvimento de todos os profissionais da escola, das crianças, de suas famílias e/ou responsáveis e da comunidade local no sentido de levá-la a atingir os objetivos propostos.

- divulgar com clareza e transparência, critérios, normas e regras tanto para as famílias como para a equipe de profissionais;

- utilizar-se da supervisão externa como instrumento para o aprimoramento do trabalho da equipe como um todo;

- formalizar canais de participação de profissionais e das famílias na elaboração, na implementação e na avaliação das propostas pedagógicas;

- cultivar um clima de cordialidade, cooperação e profissionalismo entre membros da equipe de profissionais e famílias;

- respeitar e assegurar os direitos e deveres dos profissionais sob sua responsabilidade;

- respeitar e implementar decisões coletivas;

- realizar encontros periódicos entre famílias e profissionais, visando à qualidade da educação das crianças;

- dirigir a escola, zelando para que cumpra as leis, os regulamentos, as determinações superiores, de modo a garantir a consecução dos objetivos do processo educacional;

- representar o estabelecimento;

- autorizar matrículas e transferência de aluno, abrir, rubricar e encerrar os livros em uso pela escola;

- assinar e vistar a escrituração e a correspondência, receber, informar, despachar e assinar documentos, encaminhando-os às autoridades competentes;

- presidir a organização e a distribuição das classes;

- coordenar e executar a elaboração do plano de Gestão e da Proposta Pedagógica e participar ativamente de sua execução;

- presidir o conselho de escola;

- estabelecer o calendário anual e o de eventos e atividades e zelar pelo seu cumprimento;

- estabelecer o calendário de eventos e atividades e zelar pelo seu cumprimento

- acompanhar, avaliar e controlar o desenvolvimento da programação curricular para atingir os objetivos propostos na Proposta Pedagógica

CORPO DOCENTE E AUXILIARES DE EDUCAÇÃO:

A docência deve ser entendida como processo planejado de intervenções diretas e contínuas entre a experiência vivenciada do educando e o saber sistematizado, tendo em vista a apropriação, construção e recriação de conhecimento pelos educando e o compromisso assumido com o conjunto da escola, através da participação em ações coletivamente planejadas e avaliadas, de acordo com a legislação vigente.

Fazem parte da Corpo Docente, professores em regência de classe, professores substitutos e dos Auxiliares de Educação, o Recreacionistas, Auxiliares de Desenvolvimento Infantil e Berçaristas.

Compete a estes:

- participar da elaboração do Projeto pedagógico da escola;

- opinar sobre programas escolares;

- utilização dos recursos pedagógicos auxiliares disponíveis na escola;

- requisitar os materiais didáticos necessários às suas atividades;

- elaborar e cumprir plano de trabalho, segundo a proposta pedagógica
do estabelecimento de ensino;

- zelar pela aprendizagem dos alunos;

- ministrar os dias letivos e horas-aula estabelecidos, além de participar integralmente dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional;

- colaborar com as atividades de articulação da escola com as famílias e a comunidade.

-respeitar deveres oriundos do Regimento Escolar;

- planejar adequadamente e diversificadamente seu trabalho junto aos alunos no que se refere a objetivo, conteúdo, técnicas, linha pedagógica e proposta pedagógica de modo a colaborar para a escola atingir seus objetivos, sendo ativo e não passivo;

- zelar pelo bom nome da escola dentro e fora dela e ser pontual no cumprimento das normas de horário escolar;

- manter permanente contato com pais de alunos juntamente com a direção;

- participar de atividades cívicas, culturais e educativas da comunidade;

- tratar igualitariamente a todos os educando sem que haja preconceitos, tratando-os com respeito e valorizando-o;

- elaborar e executar a programação referente a regência de classe e atividades afins;

- participar das reuniões e de outras atividades escolares, sempre que convocados, somente sendo aceito falta mediante atestado médico;

- conhecer e respeitar as leis constitucionais e as normas da escola;

- executar as tarefas pedagógica como manter em dia a escrituração escolar nos diários de classe retratando fielmente as ocorrências, anotar as informações prestadas aos pais nas agendas, diário, registro de vida escolar para avaliação que lhe são inerente cumprindo o prazo fixado pela direção de entrega;

- cumprir horário rigorosamente, evitando atrasos;

- ter domínio do conteúdo que ensina e buscar aperfeiçoá-lo de modo a inteirar-se dos avanços mais recentes na sua área de atuação;

- perceber a necessidade de estar sempre atualizado com relação às questões pedagógicas referentes ao processo ensino/aprendizagem;

- buscar métodos que lhe permitam ampliar o conteúdo de suas aulas, aumentando o interesse dos alunos;

- estar disposto a participar de grupos de estudos em que serão aperfeiçoados e ampliados os conhecimentos, o que contribuirá significativamente para o crescimento como pessoa e profissional;

- estar disposto a participar e colaborar na criação de atividades especiais, curriculares ou não;

- preocupar-se, não só em ensinar os conteúdos pertinentes à sua disciplina, mas fundamentalmente com a formação do aluno como um verdadeiro cidadão;

- autonomia em sala de aula, desde que não fira a norma da creche e do regimento.

- ter total controle dos educando através de estímulos e limites, zelando pela disciplina em sua classe e na disciplina geral da escola e pelo aproveitamento escolar de seus alunos.

- ser semeadores de idéia e não controladores de crianças.
- denunciar a direção todas as irregularidades de que tiver conhecimento no decorrer do dia e ainda comunicar imediatamente quando quaisquer do educando não estiverem passando bem ou virem agredido de casa.

- tratar com humanidade, civilidade, cortesia e respeito todas as pessoas que estão envolvidas com a escola;

- cooperar e manter espírito de solidariedade com os companheiros de trabalho;

- acatar ordens e pedidos dos seus superiores imediato;

- responsabilizar-se pela higiene, saúde e alimentação do educando enquanto estiver sob sua responsabilidade;

- participar ativamente da A.P.M. e do Conselho de Escola;

SECRETÁRIA:

A Secretaria é o centro de tramitação burocrática, da escrituração escolar e de assistência formal-administrativa a todos os envolvidos no processo educacional da escola. Suas atribuições são as necessárias e imprescindíveis ao funcionamento eficiente e integral do cumprimento das funções da Secretaria de uma escola, mormente quanto à organização, guarda e funcionalidade integral dos arquivos e ainda:
- responder perante a Diretoria da escola pelo expediente e serviços gerais do estabelecimento;
- redigir e fazer expedir toda a correspondência da escola, submetendo-a à assinatura do Diretor ou a seu substituto legal;
- assinar, quando em substituição ao Diretor, documentos da vida escolar da escola;
- atender as solicitações de Professores e todos os envolvidos no processo educacional;
- manter em ordem toda a escrituração escolar e livros pertinentes ao desenvolvimento do processo educativo;
-executar e zelar pela matrícula dos alunos, de acordo com a legislação vigente;
- atender as autoridades de ensino naquilo que lhe diz respeito;
- atender os pais dos alunos ou seus responsáveis naquilo que lhe diz respeito ou quando solicitado pela Direção da escola.


SERVIÇOS GERAIS:

São deveres do pessoal da Limpeza e Manutenção:

- manter a limpeza e a ordem nas dependências da escola;

- acompanhar e auxiliar a entrada e saída dos educando, se solicitado;

- auxiliar na preparação dos ambientes para os eventos;

- o cuidado e preservação dos recursos físicos e didáticos, higiene e limpeza nos locais ocupados, atenção e resolução dos problemas ou imprevistos que possam surgir no dia-a-dia;

- executar os serviços de limpeza e arrumação das dependências que lhe forem atribuídos;

- zelar pela conservação do prédio, de suas dependências internas e externas e do mobiliário em geral;

- estar atento à segurança dos portões, portas, janelas e vitrais, dando conhecimento ao Diretor de qualquer irregularidade;

- verificar o uso de iluminação e água, bem como dos equipamentos da escola, evitando mau uso ou desperdício;

- servir alimentação aos alunos e fazer a limpeza e desinfecção dos utensílio;

- economizar e ter controle do material que estiver sob sua responsabilidade;

- auxiliar o corpo docente e monitores quando lhe forem solicitados;

I- denunciar a direção todas as irregularidades de que tiver conhecimento no decorrer do dia e ainda comunicar imediatamente quando quaisquer do educando não estiverem passando bem ou virem agredido de casa.

- executar os demais serviços relacionados às função, a critério da Direção.

- zelar pelo bom nome da escola dentro e fora dela e ser pontual no cumprimento das normas de horário escolar;

- participar das reuniões e de outras atividades escolares, sempre que convocados;

F) Critérios para acompanhamento controle e avaliação da execução do trabalho realizado pelos diferentes atores do processo educacional.


A avaliação da execução do trabalho dos funcionários do corpo docente e da direção, tem como objetivo a melhoria do ensino oferecido pela escola. Não se trata de criar obstáculos, mais sim, para que todos profissionais busquem efetivamente melhor atuação profissional, buscando melhor qualidade e resultados de seu trabalho quanto para identificar problemas, falhas e fragilidades em sua atuação profissional, os quais serão tratados em ações conjuntas na escola.
A avaliação tem sido feita ao longo do tempo, em processo contínuo pelo diretor, considerando as diversas dimensões da atuação profissional, como a docência, o apoio pedagógico, a participação no projeto da escola e na articulação com a comunidade e fatores como pontualidade, assiduidade, presença em reuniões, motivação, participação nas atividades escolares relacionadas com a comunidade escolar, espírito de equipe, conhecimentos necessários a função, etc.
Desempenhar com qualidade suas funções no serviço público consiste em compromisso ético com a população.
Além da auto-avaliação, a avaliação é feita coletivamente, e articulada entre a comunidade escolar e a avaliação institucional.
Após a consolidação dos resultados é devolvida a comunidade escolar com o fim de planejar com o fim de planejar futuras atividades curriculares revisar o Projeto Pedagógico e para a formulação de propostas de ações.

PROPOSTA PEDAGÓGICA



A Proposta Pedagógica da EMEI “PROFª ADÉLIA DIB JORGE”, leva em conta a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB 9.394/96, a Constituição Brasileira, o Estatuto da Criança e do Adolescente, o disposto nos Parâmetros Curriculares Nacionais –PCN e Referencial Curricular para a Educação Infantil.
A metodologia de ensino da EMEI “PROF.ª ADÉLIA DIB JORGE” está baseada na proposta sócio-interacionista, baseados no desenvolvimento da criança como um todo, visando seu conhecimento e socialização.
Neste contexto, a interação aluno, grupo e professor tem papel fundamental na construção de sua identidade e autonomia.
A EMEI PROFª ADELIA DIB JORGE”, adota a metodologia pedagógica sócio-interacionista e organiza sua ação nos projetos de trabalho. Trata-se de uma postura que busca a aprendizagem significativa partindo dos conhecimentos prévios; trabalhando problemas e questões relevantes para os alunos; despertando a curiosidade, a sua capacidade de argumentar, de trabalhar com operações de pensamento, o espírito investigativo e o prazer em aprender para o trabalho com os alunos de Educação infantil.
A nossa prática educativa se baseia na visão de uma sociedade justa, solidária, ética e sustentável, vislumbrando a existência de um mundo saudável, democrático e plural.
Acreditamos, assim, contribuir com a formação de cidadãos conscientes e comprometidos na construção de um mundo melhor.
Na Educação Infantil, busca-se a integração da criança através do desenvolvimento dos aspectos biológicos, psicológicos intelectuais e sócio-culturais, preparando-as para a continuidade do processo educacional, em termos de Ensino Fundamental.




I – FINS E OBJETIVOS



A E.M.E.I. “PROFª. ADÉLIA DIB JORGE”, entidade de direito privado, está a serviço das necessidades e características de desenvolvimento e aprendizagem dos educando, independentemente de sexo, etnia, cor, situação sócio-econômica, credo religioso e ideologia política, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana e contrário a qualquer forma de preconceito ou discriminação.

A E.M.E.I. tem por finalidade promover o desenvolvimento integral da criança, em seus aspectos: físico, psicológico, intelectual, social, complementando a ação da família e da comunidade.

A E.M.E.I. tem por objetivo geral assegurar à criança atividades curriculares estimuladoras proporcionando condições adequadas para promover o bem-estar e o desenvolvimento da criança, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual, lingüístico, moral e social, mediante a ampliação de suas experiências e o estímulo ao interesse pelo conhecimento do ser humano, da natureza e da sociedade.

A E.M.E.I., além do objetivo geral e dos previstos na Constituição da República Federativa do Brasil, na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB, nº 9394/96, na Declaração Universal dos Direitos da Criança e no Estatuto da Criança e do Adolescente, ao longo da Educação Infantil, a criança deve vivenciar, experimentar e construir conhecimentos, atitudes e procedimentos com o objetivo de desenvolver as seguintes capacidades:

- construir uma imagem positiva de si, ampliando sua auto confiança, identificando cada vez mais suas limitações e possibilidade;
- estabelecer vínculos afetivos e de troca com adultos e crianças, fortalecendo sua auto-estima e ampliando suas potencialidades de comunicação e interação social;
- adquirir confiança em suas capacidades;
- identificar suas necessidades, desejos e sentimentos, expressando-os de forma a que sejam compreendidos;
- identificar situações cotidianas de risco desenvolvendo hábitos e atitudes relacionadas à prevenção de acidentes, auto proteção e defesa nas situações em que sejam exigidas;
- adquirir hábitos e necessidades relacionados ao autocuidado e à higiene;
- resolver pequenas tarefas relacionadas ao cotidiano, sendo capaz de planejar sua própria ação, dispondo-se a buscar soluções para os problemas que surgirem;
- interessar-se pelas manifestações culturais diferentes das suas;
- estabelecer e ampliar cada vez mais as relações sociais, aprendendo aos poucos a articular seus interesses e pontos de vista com os demais, respeitando a diversidade e desenvolvendo atitudes de ajuda e colaboração;
- descobrir e conhecer progressivamente seu próprio corpo, suas potencialidades e seus limites, desenvolvendo valorizando hábitos de cuidado com a própria saúde e bem estar;
- utilizar as diferentes linguagens (corporal, musical, plástica, oral e escrita) ajustadas às diferentes intenções e situações de comunicação, de forma a compreender e ser compreendido, expressar suas idéias, sentimentos, necessidades e desejos e avançar no seu processo de construção de significados, enriquecendo cada vez mais sua capacidade expressiva;
- conhecer algumas manifestações culturais, demonstrando atitudes de interesse, respeito e participação frente a elas e valorizando a diversidade.
- Adquirir hábitos e atitudes de cuidado com o outro e com o ambiente.
- criar um ambiente favorável ao desenvolvimento e ao ajustamento social e afetivo;
- propiciar à criança o desenvolvimento da criatividade, especialmente como elemento de auto-preservação;
- proporcionar à criança seu desenvolvimento individual para que ela tenha capacidade de estabelecer novas relações entre situações já vivenciadas e as que serão apresentadas e nas quais deverá se integrar;
- estimular a curiosidade, a iniciativa e a independência da criança;
- desenvolver a psicomotricidade que favoreça o desenvolvimento da personalidade e melhor preparar para o aprendizado da leitura e da escrita;
-.;
- propiciar o desenvolvimento de hábitos de asseio, ordem, economia e iniciativa;
- semear virtudes cívicas, sociais e morais que conduzam ao amor à Pátria, ao bem comum, bem como o respeito aos seus semelhantes e à natureza;
- promover o senso de auto-disciplina consciente;
- promover iniciação à matemática, a linguagem oral e escrita, propiciando o desenvolvimento de habilidades específicas para a eficiência da aprendizagem na escola de ensino fundamental;
- possibilitar o diagnóstico oportuno e preventivo das deficiências do desenvolvimento da criança, orientando e encaminhando a profissionais especializados.
- oferecer educação, alimentação, saúde, conceito básico de higiene, lazer e cultura;


II – CONCEPÇÃO DE CRIANÇA, DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL E DE APRENDIZAGEM

Entendemos a criança como um ser autônomo, que participa ativamente de seu desenvolvimento e processo de aprendizagem, devendo ser entendido e respeitado em sua condição, fazendo parte de uma organização familiar, de uma sociedade e de uma cultura que devem ser incluídas nas situações de escolarização, através de parcerias, alianças e integrações entre as diversas instâncias sociais participantes deste processo.
A criança na nossa instituição escolar é respeitada como todo ser humano, e concebida como sujeito social e histórico. Faz parte de uma organização familiar, que está sendo inserida em uma sociedade, com uma determinada cultura, em um determinado momento histórico. Respeitando a profundidade de cada criança, temos a consciência de que a mesma é biológica ou não um ponto de referência fundamental, apesar da multiplicidade de interações sociais que estabelece com outras instituições sociais.
A criança possui natureza singular, que a caracteriza como seres que sentem e pensam no mundo de maneira própria, demonstrando seus anseios e desejos. Cabe a família e a escola fornecer condições para o pleno desenvolvimento do processo de construção do conhecimento e aprendizagem.
O desenvolvimento do educando é um processo que depende do que cada criança é, de suas experiências anteriores, do ambiente em que vive e de relações com esse ambiente. Para elaborar os princípios deve-se levar em conta os estágios do desenvolvimento infantil e as diferenças existentes entre as crianças. Os princípios pedagógicos que serviram de suporte para fundamentação foram:
- o processo ensino-aprendizagem é escolar;
- o sujeito e o fim do processo é o aluno;
- toda aprendizagem implica na ação do aprendiz;
- o processo deve partir: - do concreto para o abstrato
- do particular para o geral
- do simples para o complexo
- do experimental para o racional
A operacionalização destes princípios define o processo metodológico, cujas etapas são:
- Incentivo e motivação
- Materialização
- Aplicação
- Verificação
Para a execução dos princípios descritos acima, os professores irão considerar as seguintes diretrizes:
a) Conduzir o processo ensino – aprendizagem, planejando, evitando assim a improvisação.
b) Efetuar a ação didático – pedagógico de forma a garantir a concretização dos objetos operacionais.
c) Avaliar permanentemente o desempenho dos alunos para diagnosticar os problemas de aprendizagem.



III- CARACTERISTICAS DA POPULAÇAO A SER ATENDIDA E DA COMUNIDADE NA QUAL SE INSERE

CLIENTELA

A clientela é carenciada de modo geral, proveniente de lares desfeitos ou desestruturados, pela falta de emprego ou atividade econômica, alcoolismo e droga.
É constituída por elementos de diversas raças e seus cruzamentos.
A clientela é de 95 crianças de 03 a 06 anos que freqüentam em período integral enquanto os pais ou responsáveis trabalham, pois a situação econômica e financeira é de classe baixa, estes profissionais provém de vários setores, sendo a predominância lavradores e domésticas.
O grau de instrução é de primeiro grau incompleto na sua maioria, sendo destes 0,5% analfabetos e 20% com primeiro grau completo.
A renda familiar é em média dois salários, sendo que 40% participa do programa Bolsa Família.

COMUNIDADE

A E.M.E.I. “Profª Adélia Dib Jorge” está localizada no bairro Vila São Sebastião, um dos bairros de maior carência econômica e atende outros bairros também carentes como: Francisco Romano, Rosa Bedran, Caic e Vila Romana.
A população é pobre, carente e trabalhadora. Residem em habitações com pouco conforto, geralmente inacabadas e de alvenaria.
A estrutura urbana oferece água encana e energia elétrica. Usufruem de esgoto público, calçamento e iluminação.
O bairro não conta com fábricas.
O atendimento médico é feito na UBS do bairro.
O comércio tem crescido e contempla todo tipo de comércio dentro do perfil de poder aquisitivo da população local.
O bairro é servido por linha de transporte coletivo urbano com vários pontos e horários de linhas.
O atendimento escolar é excelente com 01 Escola Estadual de 5ª a 8ª série, 03 Escolas Municipais de Educação Infantil e de 1ª a 4ª série, 01 Berçário Municipal e mais 01 Creche Municipal.
Possui uma área de lazer muito boa, recém inaugurada.
A escola mantém um bom relacionamento com a comunidade, sendo a mesma cada vez mais participativa nas atividades regulares da escola.


IV- REGIME DE FUNCIONAMENTO

O ensino será oferecido à crianças de 3 a 6 anos distribuídas da seguinte maneira:

- Maternal II: 3 anos (ou a completar)
- Jardim I: 4 anos (ou a completar)
- Jardim II: 5 anos (ou a completar)
- Pré-Escola: 6 anos (ou a completar)

O funcionamento desta E.M.E.I. se dá em período integral, das 06:00 h às 18:00 h.

V – ESPAÇO FÍSICO, INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS


ESPAÇO FÍSICOS E INSTALAÇÕES:

A E.M.E.I. “Profª Adélia Dib Jorge”, está instalada num prédio municipal que passou por reformas e ampliação para sua instalação, dotado de infra-estrutura satisfatório com instalações hidráulicas e conforto ambiental (iluminação e ventilação) e conta com as seguintes dependências:

Setor Administrativo:
- 1 secretaria
- 1 sanitário

Setor de Serviços:
- 1 cozinha
- 1 lavanderia
- 1 refeitório
- 1 pátio coberto
- 4 banheiros, sendo 2 com fraldário


EQUIPAMENTOS

 Secretaria
01 computador com mesa
01 armário de aço com porta
02 escrivaninhas com cadeiras
01 arquivo
01 estante de aço
01 aparelho telefônico
01 ventilador

 Salas – 1ª, 2ª, 3ª etapas
(cada sala contém)
01 armário de aço com porta
02 Estantes de aço (Jd.I – 01)
07 mesinhas com 04 cadeiras cada
02 ventiladores de teto (Jard.I – 01)
02 mesas de professor com 01 cadeira
01 lousa

 Maternal I
01 armário de aço com porta
02 estantes de aço
06 mesainhas com 04 cadeiras cada
01 lousa
01 ventilador de teto


 Refeitório
05 mesas grandes com 02 bancos cada
02 mesas de professor para refeitório
01 estante de aço

 Cozinha
01 fogão convencional com 04 bocas
01 fogão industrial com 02 bocas
01 geladeira
01 freezer vertical
01 espremedor de frutas (sem uso)
01 batedeira
01 liquidificador
Xícaras, copos, pratos, talheres, canequinhas, panelas de pressão, panelas comuns e outros utensílios domésticos em geral

 Lavanderia
01 tanquinho de lavar roupas
01 máquina de lavar roupas
01 estante de aço
01 armário de aço comporta
01 tábua de passar roupa


RECURSOS TÉCNICOS PEDAGÓGICOS:
A E.M.E.I. “Profª. Adélia Dib Jorge” se encontra relativamente equipada para dar consecução às suas atividades educacionais.
Conta com :
- livros de literatura infantil ( nos cantinhos de leitura das salas de aula).
- 01 Televisão.
- 01 Vídeo Cassete.
- 01 Aparelho de som c/ CD
- 01 Rádio gravador c/ CD
- 01 Computador c/ impressora
- 01 Mimeografo


VI – RELAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS, ESPECIFICANDO CARGOS E FUNÇÃO, HABILITAÇÃO E NÍVEL DE ESCOLARIDADE

NOME CARGO FUNÇÃO HABILITAÇÃO OU NÍVEL DE ESCOLARIDADE
Roselene H. Miguel Malaguti Coordenador de Creche A mesma Superior completo
Ed. Art e Pedagogia
Rosangela Ap. Galli Escriturária Secretária 2º grau completo
Sandra Ap. Baptista Recreacionista Monitora 2º grau completo
Edileusa R. de Andrade Berçarista Monitora 2º grau completo
Elaine Ap. da Silva Lopes A. D. I. Monitora Magistério
Sonia Mª. Ferreira l. de Araújo Berçarista Monitora 2º grau completo
Vera L. Bonazzi Provenzano Professora Professora Pedagogia
Pós Graduação
Nalva C. Micheletti Garieri Professora Professora Pedagogia
Pós graduação
Vera Regina Jacob Soares Professora Professora Estudos Sociais Pedagogia
Pós Graduação
Bruna Paula José Estagiária Monitora 2º grau completo e cursando Administ.
Zuleide Ap. de Jesus Xavier Serviços Gerais Serviços Gerais 2º grau completo
Eliana C. Bavelloni Zaniro Serviços Gerais Serviços Gerais 2º grau completo
Ilma Mª de Oliveira Serviços Gerais Serviços Gerais 2º grau completo

VII – PARÂMETROS DE ORGANIZAÇÃO DE GRUPOS E RELAÇÃO PROFESSOR/CRIANÇA

SALA ALUNOS PROFESSOR

MATERNAL II
20 1 MONITOR E
1 ESTAGIÁRIO

JARDIM I
25 1 PROFESSOR
1 MONITOR

JARDIM II
25 1 PROFESSOR
1 MONITOR

PRÉ-ESCOLA
25 1 PROFESSOR
1 MONITOR

TOTAL 95 3 PROFESSORES
4 MONITORES
1 ESTAGIÁRIA


VIII – ORGANIZAÇÃO DO COTIDIANO DE TRABALHO JUNTO ÀS CRIANÇAS:

A criança é um ser social que nasce com capacidades afetivas, emocionais e cognitivas. Tem desejo de estar próxima às pessoas e é capaz de interagir e aprender com elas. Dentre os recursos que as crianças utilizam, destacam-se a imitação, o brincar, a oposição, a linguagem e apropriação da imagem corporal. Com auxilio dos educadores, as crianças desenvolvem atividades através de projetos elaborados segundo datas comemorativas, ocorrências e necessidades da criança. Em cada projeto se explora a linguagem oral, a matemática, a arte, conhecimentos gerias, a música, a dança, o teatro, brincadeiras, etc..., enriquecendo e desenvolvendo a imaginação da criança, seguindo sempre a seguinte rotina diária.

Maternal II
Jardim I Jardim II Pré
Café da Manhã 07:30 h 07:30 h 07:30 h 07:30 h
Aula 08:00 h O8:00 h 08:00 h 08:00 h
Almoço 10:30 h 10:50 h 11:10 h 11:30 h
Banheiro e Escovação 10:50 h 11:10 h 11:30 h 11:50 h
Sono 11:10 h 11:30 h 11:50 h 12:10 h
Lanche da tarde 13:45 h 14:00 h 14:15 h 14:30 h
Atividade 14:00 h 14:15 h 14:30 h 14:45 h
Pátio 16:00 h 16:00 h 16:00 h 16:00 h


IX – PROPOSTA DE ARTICULAÇÃO DA INSTITUIÇÃO COM A FAMÍLIA E A COMUNIDADE


Esta parceria, baseada na cooperação, no respeito e na confiança, é imprescindível para o sucesso da educação das nossas crianças, uma vez que nossos objetivos são comuns: a formação do caráter, a construção de conhecimentos e a auto-realização de cada um deles.
 Envolvimento e participação ativa dos pais nas comemorações cívicas e sociais;
 Reuniões bimestrais para tratar de assuntos referentes a evolução e desenvolvimento da aprendizagem de seus filhos e informações de projetos que serão desenvolvidas no semestre.
 Participação dos pais nas Feiras Culturais.
 Palestra para os pais, com assuntos de seus interesses.


X – PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DA CRIANÇA;


A Educação Infantil não possui caráter de terminalidade, e sim de acompanhamento e registro do desenvolvimento da criança. Seu ingresso ao Ensino Fundamental não está vinculado ao alcance de “padrões desejáveis”.
Os estudos atuais sobre o desenvolvimento infantil é, sobretudo, o respeito pelas diferentes formas de ser de cada criança, decorrentes de suas experiências de mundo, ritmos de maturação, contextos sociais e culturais diferenciados.
A ficha de acompanhamento permite um olhar atento ao processo de desenvolvimento e as conquistas realizadas pela criança, sem ausentar o professor da importância do seu papel.
O processo das avaliações do desenvolvimento integral da criança foi organizado através do acompanhamento contínuo e dos registros de etapas e objetivos alcançados pela mesma, respeitando seus direitos fundamentais.
O relatório do desenvolvimento do aluno é uma ficha impressa e será apresentada aos pais bimestralmente. Nesta ficha serão respeitados os fundamentos norteadores constantes das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. (Resolução CNE/CEB 01/99)

XI – PROCESSO DE PLANEJAMENTO GERAL E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL:


O planejamento geral se dá semestralmente no inicio do ano letivo e antes do recesso escolar.
A avaliação institucional se dá semestralmente também, mas após o recesso escolar e ao termino do ano letivo.
Ambos são realizados juntamente com a comunidade escolar.


XII – PROCESSO DE ARTICULAÇÃO DA EDUCAÇÃO INFANTIL COM O ENSINO FUNDAMENTAL:


Faz – se necessário salientar que ambos níveis de escolarização possuem características distintas, porém com objetivos intrínsecos: desenvolver habilidades que tornem o educando capaz de atuar conscientemente em qualquer seguimento da sociedade, sendo ator e escritor de sua própria história.
É válido ressaltar, ainda que transições ocorrem o tempo todo na vida pessoal e escolar de cada indivíduo.
Para que esse impacto seja “reduzido” é importante o respeito às culturas infantis, garantindo uma política de temporalidade da infância.
A palavra de ordem nesse contexto é continuidade. É preciso que haja uma relação entre o que já foi aprendido e o que será estudado, conhecendo e respeitando ritmos, capacidades e limitações de cada um.
Desta maneira oferecemos um programa que facilite a transição a uma comunidade mais ampla e o acesso a saberes organizados formalmente, sem escolarizar a Educação Infantil e também sem infantilizar o ensino fundamental.
Desenvolvemos atividades em que as crianças trabalham as mudanças ocorridas com a transição por meio de verbalizações de sentimentos, apresentar a 1ª série como pré – escolar e compreender a visão que os alunos constituíram a respeito da 1ª série, inclusive suas angústias e inquietações.

RELAÇÃO NOMINAL DAS SALAS:


Sala: Maternal II

Monitoras: Sandra Aparecida Baptista
Bruna Paula José

NOME D. NASC. IDADE
1- Amanda Rosa Tavares da Silva 02/01/05 3
2- Beatriz Arnau de Souza 21/03/05 3
3- Diego César Aguiar 26/03/05 3
4- Endy Gabriela de Souza 07/05/05 2
5- Isabella Paulino 25/08/05 2
6- João Vitor da Silva Macedo 06/10/05 2
7- Kathlen Nicole Biase da Silva 22/12/05 2
8- Kauan Santos de Souza 27/07/05 2
09-Miguel Viana Rodrigues 01/06/05 2
10-Nicolas dos Santos de Oliveira 12/02/05 3
11-Sidnei Arnau de Souza 21/03/05 3
12-Vitória Beatriz da Silva Pena 01/05/05 2
13-Wesley Rodrigo de Lima Mariano 20/03/05 3
14-Daniel Antonio Ordine 18/05/05 2
15-Adrieli Stefania Leite dos Santos 28/01/05 3
16-Talita Lorena Silva Tineti Ziviani 10/03/05 3
17-Isabela Ferreira Lopes 29/09/05 3
18-Evellyn Vitória Araújo 14/07/05 2
19-Kayky César dos S. Silva 05/07/05 2
20-Priscila Natacha M. Lavoura 23/09/05 2



Sala: Jardim I

Profª: Vera L. Bonazzi Provenzano

Monitora: Elaine Aparecida da Silva Lopes

NOME D.NASC. IDADE
01- Ana Clara Paglioto 30/04/04 4
02- Crislaine Maria Costa Cabral Bastos 05/08/04 3
03- Douglas Bueno da Silva 28/05/04 3
04- Eduardo Henrique Araújo dos Santos 24/03/04 4
05- Fernanda Rafaela Pereira dos Santos 16/11/03 4
06- Gabrieli Vitória da Silva dos Santos 14/04/04 4
07- Gulherme Cozin Pedroso 23/05/04 3
08- Jhony Mateus de Paula Silva 19/12/04 3
09-Leonardo Henrique Aparecido Pinto 13/09/04 3
10-Letícia Gabrieli de Andrade 22/01/04 4
11-Luani Vitória Silva 09/04/04 4
12-Luis Henrique Morais Babilon 19/03/04 4
13-Maria Eduarda Coimbra 01/10/04 3
14-Maria Vitória Paglioto 30/04/04 4
15-Nicole Rafaela dos Santos 09/06/04 3
16-Rian Marcos Moreira Borges 14/06/04 3
17-Ryan Duarte Rosa 01/07/04 3
18-Sérgio Gabriel Nascimento 12/11/04 3
19-Thaciele Wiclack Ricardo 16/04/04 4
20-Victor Hugo Ferreira Lima de Araújo 20/10/04 3
21- Vitor Hugo Valencio de Araújo 11/02/04 4
22- Wendel Araújo Porto 09/04/04 4
23- Wesley Brian Pereira Martins Faria 14/02/04 4
24-Marlol Roberto Dias 24/05/04 4
25-Kamila de Souza Rodrigues 09/01/04 4

Sala: Jardim II

Profª: Nalva Cibele Micheletti Garieri

Monitora: Sonia Maria Ferreira de Lima Araújo

NOME D.NASC. IDADE
1-Andrezza Caroline Moutinho 14/05/03 4
02-Bruno Lucio Rodrigues 26/04/03 5
03-Bruno Pereira Torres 01/02/03 5
04-Camila Vitória da Silva Padovani 03/11/03 4
05-Gabriel Henrique Borges da Silva 16/01/03 5
06-Israel dos Santos de Lima Pereira 27/07/03 4
07-Larissa Aparecida Nascimento 07/04/03 5
08-Loreny Vitória Eleotério 11/12/03 4
09-Lucas Gabriel Aguiar 13/02/03 5
10-Márcio Vinícius Peroza de Paula 13/06/03 4
11-Marcos Gabriel da Silva 13/04/03 5
12-Mariana Luiza Silva Padovani 16/02/03 5
13-Matheus Alexandre Dias 26/01/03 5
14-Micael Talisson Chiarelli de Lima 01/12/03 4
15-Pedro Augusto Romualdo Amâncio 09/06/03 4
16-Raiane Santos de Souza 07/10/03 4
17-Rian Lopes Alberto 04/10/03 4
18-Richard Trajano da Silva 02/05/03 5
19-Thierry Eduardo Antonio Barbosa 24/08/03 4
20-Victor Hugo Brunetti de Oliveira 26/12/03 4
21-Thaíssa Cristini Ribeiro Fonseca 13/04/03 5
22-Felipe Mendes Gomes 13/02/03 4
23-Matheus H. Chiarelli de Lima 23/09/03 5
24-Messias Rodrigues Araújo de Souza 05/06/03 5




Sala: Pré Escola
Profª: Vera Regina Jacob Soares

Monitora: Edileusa Roberta de Andrade


NOME D.NASC. IDADE
1- Bryan Murilo Scobare Ferreira 16/06/02 5
2- Camila da Silva Queiroz 27/05/02 5
3- Carlos Eduardo Ferreira do Prado 03/08/02 5
4- Danila da Silva Carvalho Alves 01/01/02 6
5- Edvaldo Vinicius de Freitas 28/03/02 6
6- Esmeralda Pereira 15/06/02 5
7- Felipe Rafael Parolezi Pinheiro 25/04/02 6
8- Filipe Matheus Perez Vilela 11/09/02 5
9- Gabriel Vivan Mariano 02/08/02 5
10-Gabrieli Muniz de Siqueira 17/09/02 5
11-Hellen Cristina Aparecida de Paula 09/01/02 6
12-Iago Henrique Araújo Lopes 11/06/02 5
13-Indianara Gabrielle Alves Dantas 16/08/02 5
14-Larissa Vitória Bezerra da S. Santos 19/11/01 6
15-Letícia Cristina dos Santos 07/02/02 6
16-Letícia Vitória de Castro Silva 30/05/02 5
17-Raiane Camili da Silva dos Santos 08/03/02 6
18-Rian Lopes dos Santos 03/11/02 5
19-Silvana Maria da Silva 04/10/02 5
20-Tainá Almeida de Sá 24/04/02 6
21-Vanessa Cristina Capeletto Costa 17/01/02 6
22-Victor Augusto Ferreira de Oliveira 22/01/02 6
23-Vitor Augusto Ribeiro Fonseca 08/12/01 6
24-Danielli Cristina Ordine 12/09/02 5
25-Amanda Caroline Ruy 17/11/02 5




PROJETO HTPC


INTRODUÇÃO

- Articular os diversos segmentos da Unidade Escolar para a construção e implementação do trabalho pedagógico;
- Fortalecer a Unidade Escolar como instância privilegiada do aperfeiçoamento do trabalho pedagógico ;
- Planejar, Replanejar e Avaliar as atividades de sala de aula, tendo em vista as diretrizes do processo ensino – aprendizagem;
- Estimular o desenvolvimento das atividades coletivas da Unidade Escolar;
- Valorização dos indivíduos envolvidos no sistema educacional;
- Contribuir para o sucesso da prática-pedagógica, a fim de que coletivamente, com trocas de experiências possamos atingir os objetivos propostos.


OBJETIVOS GERAIS

- Construir e implantar o Projeto Pedagógico;
- Articular as ações educacionais desenvolvidas, visando a melhoria do processo;
- Contribuir para a formação contínua do professor;
- Possibilitar a reflexão sobre a prática docente;
- Estimular ações voltadas para troca de experiências realizadas pelos professores e a desenvolver com entusiasmo suas atividades;
- Promover o aperfeiçoamento individual e coletivo dos educadores fornecendo subsídios e informações quanto aos aspectos curriculares e acompanhamento de aprendizagem através do Referencial Curricular;
- Avaliar e acompanhar de forma sistemática o processo ensino-aprendizagem;
- Promover reuniões entre professores e pais;
- Elaborar e acompanhar os Projetos Especiais.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Melhorar a sua prática de ensino, para a socialização e divulgação dos projetos, atividades e trabalhos desenvolvidos para o planejamento e discussão de novas práticas pedagógicas, para assegurar melhor o desempenho do professor no uso de materiais didáticos diversificados;
- Reservar momentos nos HTPC’s para os professores socializarem as informações e experiências vivenciadas nas orientações técnico-pedagógicas, capacitação de projetos, a fim de atualizar e envolver os colegas;
- Oferecer material de leitura propícios a Educação Infantil;
- Auxiliar o uso de material pedagógico, pertencente a E.M.E.I ou Oficina Pedagógica;
-Desenvolver os projetos especiais elaborados no Planos de Gestão e nos anexos;

METODOLOGIA

- HTPC’s organizados previamente com estímulos ao professor;
- Levar aos professores textos e outros recursos didáticos como DVD, sobre o processo ensino-aprendizagem, bem como sua prática docente;
- Participação dos professores discutindo erros, acertos, suas experiências intra e extra-classe, contribuindo para a formação coletiva dos docentes;
- Nas reuniões serão transmitidas as orientações técnicas e informações recebidas;
- Participação em reuniões pedagógicas com a equipe técnica do Expoente;
- Discussão de textos pedagógicos, legislação e outros com a equipe escolar a fim de integrá-los ao projeto político pedagógico da Instituição;
Distribuição de material didático diversificado aos professores, suprindo as necessidade de professores e alunos.


TEMÁRIO E CRONOGRAMA DE HTPC


CRONOGRAMA


DIAS: 3ª E 5ª Feira
HORÁRIO: 7:00 ÀS 8:00

TEMÁRIO
3ª FEIRA: (in)formação docente, através de leitura de textos com assuntos pertinentes e Ed. Infantil, sendo usados pesquisas em Internet, Referencial Curricular, revistas como: Projetos Escolares na Educação Infantil, Revista Criança, Revista Pátio, Revista Escola, Revista do Professor, Ciências Hoje, LDB, etc...

5ª FEIRA: são destinadas a construção de material pedagógico de apoio, trocas de experiências sobre problemas existentes em classe e de alunos, avaliações e conversas com os pais que solicitam nossa atenção e que são convocados e leitura de comunicados vindos da S.M.E.

E.M.E.I “PROFª ADÉLIA DIB JORGE”
RUA LAUDELINO CAMARGO, 500 V.S.S.
TAQUARITINGA – SP
FONE: (16)3253-6090



Taquaritinga, 03 de junho de 2008



Ofício nº 012/08
Assunto: Solicita homologação de horário

Sra. Dirigente Municipal de Ensino


Venho através deste, solicitar de V.Sª., a homologação do horário da Coordenadora de Creche – Roselene Hidalgo Miguel Malaguti, sendo das 7:00 às 13:00 h.
Sendo o que tinha a solicitar, manifesto protestos de estima e consideração.




Atenciosamente,




__________________________
Roselene H. Miguel Malaguti
Coordenadora de Creche
RG. 22.319.197



Ilma Sra.
Silvia Isabel L. Silveira Lopes
Dirigente Municipal de Ensino
HORÁRIO DE TRABALHO, FUNÇÃO E ESCALA DE FÉRIAS DOS FUNCIONÁRIOS

ADMINISTRATIVO

NOME FUNÇÃO HORÁRIO DE TRABALHO ESCALA DE FÉRIAS
Rosangela Aparecida Galli Escriturária 10:00 h. às 16:00 h 30 dias a p/ 01/04/08

DOCENTE

NOME FUNÇÃO HORÁRIO DE TRABALHO ESCALA DE FÉRIAS
Nalva C. Micheletti Garieri Professor 08:00 h às 12:00 h 30 dias a p/ de 02/01/08
Vera L. Bonazzi Provenzano Professor 08:00 h às 12:00 h 30 dias a p/ de 02/01/08
Vera R. Jacob Soares Professor 08:00 h às 12:00 h 30 dias a p/ de 02/01/08

MONITORES

NOME FUNÇÃO HORÁRIO DE TRABALHO ESCALA DE FÉRIAS
Edileusa Roberta de Andrade Berçarista 11:30 h.às 17:30 h 30 dias a p/ de 01/08/08
Elaine Ap. da Silva Lopes Aux. Des. Infantil 11:30 h.às 17:30 h 15 dias a p/ 14/07/08 e 15 dias a p/ 15/12/08
Sandra Ap. Baptista Recreacionista 06:00 h às 12:00 h 15 dias a p/ de 14/07/08
Sonia M. Ferreira de Lima Araújo Monitora 12:00 h.às 18:00 h 30 dias a p/ 17/12/08

SERVIÇOS GERAIS

NOME FUNÇÃO HORÁRIO DE TRABALHO ESCALA DE FÉRIAS
Eliana C. Bavelloni Zaniro Serv. Gerais 06:00 h. às 12:00 h 15 dias a p/ 11/08/08
Ilma Maria de Oliveira Aux. de Serv. Gerais 09:00 h às 15:00 h 15 dias a p/ 21/07/08
Zuleide Ap. de Jesus Xavier Serv. Gerais 10:00 h às 16:00 h 15 dias a p/ 07/07/08

PLANO DE APLICAÇÃO DOS RECURSOS FINANCEIROS



Os recursos financeiros desta EMEI são os seguintes:


Subvenção social: que destina – se a despesas miúdas para suporte as atividades pedagógicas e despesas com manutenção e instalações. (estas despesas encontram – se relacionadas na lei nº 3.608/07)

Carnê de contribuição a APM: esta verba foi uma decisão das mães em contribuir mensalmente, onde a verba será destinada a festas comemorativas da EMEI. (páscoa, festa junina, semana da criança, dia das mães e pais e natal.), gerenciadas pela APM.

Rifas: onde a verba é destinada a compra de lembranças aos alunos ou pais e material pedagógico.

PROJETO CULTO A BANDEIRA
Apresentação:
“ A Pátria é a família amplificada”
Rui Barbosa

Realmente a pátria não é de ninguém, são de todos...


Justificativa:
Este projeto justifica-se pelo motivo de inserirmos desde cedo nas crianças o sentimento de patriotismo.


Objetivos:
- incentivar e participar do culto à Pátria, a seus símbolos, conhecendo-os e respeitando-os.


Desenvolvimento:
Nesta EMEI o culto será realizado as 2ª feiras.
Os alunos aprendem a cantar o Hino nacional, realizando desta maneira a união e o sentimento de amor pela Pátria.
Reconhecerão os símbolos da Pátria.
Aprenderão também outros hinos como: Hino de Taquaritinga, Hino a Bandeira e Hino da Independência.

PROJETO MUSICA
Apresentação:
“A música é a linguagem que se traduz em formas sonoras capazes de expressar e comunicar sensações, sentimentos e pensamentos...”


Justificativa:
A música na Educação Infantil possibilita a criança encontrar seu ritmo interior, seu próprio equilíbrio, estabelecendo "sintonia" com o mundo que a rodeia.
As atividade musicais levam a criança a perceber seu corpo como uma fonte inesgotável de ação/expressão/criação.
Compreender, apreciar, desvendar o universo sonoro/musical do seu ambiente cultural é importante para que as crianças tornem-se capazes de lidar com suas emoções, sentimentos. E, assim apropriarem-se de seu corpo e de seus gestos.


Objetivos:
- Explorar e identificar elementos da música para se expressar, interagir com os outros e ampliar seu conhecimento do mundo.
- Perceber e expressar sensações, sentimentos e pensamentos, por meio de improvisação, composição e interpretações musicais.


Desenvolvimento:
Aula de música às 3ª feiras, onde durante todo o ano trabalharemos com música em diversas situações corriqueiras, escutarão obras musicais de diversos gêneros, estilos, épocas e culturas, da produção musical brasileira e de outros povos e países.
Reconhecerão elementos musicais básicos: frases, partes, elementos que se repetem etc.




FEIRA CULTURAL:
VIVENDO UM CONTO DE FADAS

Apresentação:
Quem conta, reconta...
faz de conta!



Justificativa: Justifica – se esse projeto cultural por ser sabido a relevância da Literatura Infantil para a formação e/ou desenvolvimento da criança, favorecendo outro conhecimento de si e do mundo a sua volta como ressalta Cademartori (1991, p. 18 – 9). “A Literatura por sua vez propicia uma reorganização das percepções do mundo e desse medo possibilita uma nova ordenação das experiências existenciais da criança. A convivência com textos literários provoca a formação de novos padrões e o desenvolvimento do senso crítico.

Objetivo: Com esse trabalho pretende – se colocar a criança em contato com diversos mundos, pois o universo das histórias oportuniza a possibilidade de descoberta de mundos distantes (reais ou imaginários), lugares diferentes, tempos remotos, outras culturas, costumes diversos e divergentes, levando – os à compreensão da realidade, e à aquisições de informações, que pela proximidade entendida pela criança que há entre ela e personagens da Literatura Infantil possibilite ampliar seus conhecimentos, auxiliando na resolução de problemas da própria criança.
• Aguçar a curiosidade e criatividade, desenvolvendo atenção, concentração e percepção.
• Despertar habilidades como criticidade, autonomia e conscientização.
• Despertar o gosto pela leitura.

Desenvolvimento: O Projeto cultural Vivendo um Conto de Fadas desenvolver – se – à a partir da temática escolhida por cada professor, definido num subprojeto contendo as seguintes atividades básicas:
• Leitura diária de histórias variadas
• Leitura de diversas versões de uma mesma história.
• Atividades de leitura e escrita
• Propiciar situações de leitura de imagens
• Propiciar situações de leitura sem que se saiba ler convencionalmente
• Propiciar situações de escrita tendo o professor como escriba
• Reconto de histórias
• Dramatização
• Atividades de arte como pintura
• Dedoche
• Conversas sistemáticas sobre histórias
• Filmes
• Produção de texto coletivo


PROJETO DENGUE
Apresentação: “Xô dengue!!!”

Justificativa:
Este projeto justifica-se em razão de a dengue ser uma doença perigosa e de fácil propagação e tendo em vista a necessidade de conscientizarmos nossas crianças e a comunidade escolar e local, sendo que é uma tema que vem assustando a todos.

Objetivos:
- aquisição de condutas para eliminação do mosquito transmissor;
- conhecimento dos lugares que servem de depósito;
- mosquito, sua transmissão e reprodução;
- conscientização da comunidade escolar e local.



Desenvolvimento;
Os professores conscientizarão os alunos através de trabalhos pedagógicos, cartazes, circuito para identificar os criadoros, visitas a casas dos alunos, etc...

PROJETO PIOLHO
Apresentação: “ Piolho, aqui nesta creche não”

Justificativa:
Esse problema ocorre geralmente em crianças de idade escolar. O professor é capaz de diagnosticar nos alunos e de orientar as famílias sobre os procedimentos para combatê-lo.
Cabe a ele, assim, manter os cuidados pra evitar a transmissão para as crianças e a eliminação dos piolhos, tomando, par isso, algumas atitudes como:
Alertar – sobre a transmissão e as epidemias comuns em escolas.
Orientar – sobre a higiene adequada a ser realizada para a eliminação dos piolhos e das lêndeas.
A pediculose é de fácil transmissão na escola por causa dos contatos constantes entre os colegas nas atividades, quando realizadas coletivamente.

Objetivo:
O objetivo principal deste projeto é a conscientização para busca de ações, visando a erradicação do Piolho,

Desenvolvimento:
Etapas do nosso trabalho:
• Fizemos um diagnóstico dos conhecimentos prévios dos alunos;
• Leituras de livros paradidáticos;
• Textos informativos;
• Jogos;
• Desenhos;
• Problemas;
• Músicas;
• Combinados;
• Cruzadinhas;
Cada professora adaptou o conteúdo de acordo com a faixa-etária dos seus alunos.
• A importância de se manter a higiene;
• Levantamento dos casos existentes na escola;
• Confecção de um bilhete solicitando a ajuda dos pais no combate ao Piolho, elaborado pelas crianças;
• Busca de receitas caseiras, através da família, parentes e amigos, para exterminar os piolhos;
• Recontagem da quantidade de crianças que apresentam Pediculose, nome oficial da infestação, com a finalidade de observar o envolvimento de todos;
• Painéis com os trabalhos desenvolvidos pelos alunos;
• Distribuição dos medicamentos na Reunião de Pais.

PROJETO DE INCLUSÃO


I – IDENTIFICAÇÃO

E.M.E.I. “PROFª. ADÉLIA DIB JORGE”
Rua: Laudelino Camargo, 500 V. S. S.
Taquaritinga – SP Fone: (16) 3253-6090
Nome do Projeto: “PAI” – Projeto de Amor e Inclusão

Responsável pela execução do Projeto:- Roselene Hidalgo Miguel Malaguti/Coordenadora de Creche.
Responsável pela Supervisão do Projeto:- Marilda Jabor Manólio e Josmari Troiano Regatieri

Palavras Chaves:- Inclusão, Adequação, Coerência, Flexibilidade, Multiplicidade e Abrangência.

II – JUSTIFICATIVA
O presente Projeto vem atender a demanda de crianças de 0 a 6 anos com necessidades educacionais especiais no desenvolvimento de suas capacidades intelectuais, física e motor, ou seja, fazê-la alcançar o seu nível máximo de aprendizado, através de sua inclusão nas unidades de creche/Escola.
Justifica-se pela necessidade de incluir as crianças em práticas educacionais, não só pelo seu direito fundamentado na lei, mas principalmente pelo compromisso moral de não categorizar e discriminar, e sim aceitar e valorizar a diversidade de classes sociais, culturas, estilos de aprendizagem, habilidades, línguas e religiões. Este é o primeiro passo para a criação da Creche/Escola para todos.
Justifica-se inclusive pelo movimento mundial em prol da inclusão educacional originado pela conferência Mundial de Educação para Todos e posteriormente confirmado na Declaração de Salamanca (1994), compromisso assumido por vários países e também, sendo que nosso país tem avançado muito neste sentido, pois a Constituição Federal em seu artigo 208, III define o atendimento educacional especial especializado preferencialmente na rede regular de ensino e foi ratificada pela Lei 9.394/96 (LDB).
As Creches/Escolas são construídas para promover educação saudável para todos, portanto o indivíduo tem o direito de participação como membro ativo da sociedade na qual estas creches/escolas estão inseridas. Todas as crianças têm o direito a uma educação de qualidade onde suas necessidades individuais possam ser atendidas e as crianças possam desenvolver-se em um ambiente enriquecedor e estimulante no seu desenvolvimento cognitivo, emocional e social.

“Uma criança quanto mais se sente amada, mais disciplinada estará para receber os ensinamentos do monitor e professor. Onde não há reciprocidade, isto é, o amor do aluno para com o professor/monitor e do professor/monitor com seu aluno não há assimilação ativa, não há razão de ser da educação escolar: o desenvolvimento do educando como pessoa humana”.
Na educação infantil, a Pedagogia do Amor torna possível o cumprimento do desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, na medida em que o processo didático complementa a ação da família e da comunidade.


III – OBJETIVO GERAL
Proporcionar às crianças com necessidades educacionais especiais de ambos os sexos, acesso e permanência com êxito na educação infantil (creche e pré-escola) da rede regular de ensino.
Coloca-se também, por objetivo um conjunto de ações educativas que visa a promoção do desenvolvimento integral e apoio no processo de inclusão escolar das crianças com necessidades educacionais especiais em parceria com as áreas de saúde e assistência social promovendo inclusive o desenvolvimento das potencialidades da criança nos seguintes aspectos:- físico, psico-afetivo, cognitivo, social e cultural, priorizando o processo de interação mediante atividades significativas lúdicas.
A educação dos portadores de necessidades educacionais especiais amplia-se passando a abranger, além das dificuldades de aprendizagem relacionadas as condições, disfunções, limitações ou deficiências, e também àquelas não vinculadas a uma causa orgânica especifica.
As necessidades educacionais especiais caracterizadas pelas dificuldades acentuadas de aprendizagem ou processo de desenvolvimento, são compreendidas como decorrência de:
• Deficiências mentais, visuais, auditivas, física/motora e múltiplas;
• Condutas típicas de síndromes e quadros psicológicos, neurológicos e psiquiátricos;
• Superdotação/altas habilidades.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
• Garantir o acesso e permanência à educação infantil em creches e pré-escolas, respeitando o direito ao atendimento especializado (art. 58 e 60 da LDB);
• Incentivo à autonomia, cooperação, espírito crítico e criativo da pessoa portadora de necessidades educacionais especiais;
• Desenvolvimento global das potencialidades dos alunos;
• Desenvolvimento das habilidades lingüísticas, particularmente dos surdos;
• Aquisição do “saber” e do “saber fazer”;
• Aquisição de hábitos intelectuais, de trabalhos individual ou em grupos;
• Organização de ambiente educacional o menos restrito possível;
• Oferta de livros falados e de livros didáticos em Braille para cegos, de material de leitura e escrita ampliadas para portadores de visão reduzida;
• Atendimento obrigatório em estimulação essencial, de forma a prevenir o agravamento das condições de crianças de 0 a 3 anos e a estimular o desenvolvimento de suas potencialidades;
• Incentivo a utilização da língua brasileira de sinais (LIBRAS), no processo de ensino-aprendizagem de alunos surdos;
• Promover a articulação entre a educação especial e a educação infantil com o objetivo de garantir oportunidades sócias educacionais à criança portadora de necessidades educacional especial;
• Oferta de recursos pedagógico adequado às necessidades dos portadores de deficiência múltipla;
• Desenvolvimento de ações integradas nas áreas de ação social, educação e saúde;
• Oportunizar o desenvolvimento e a aprendizagem da criança ampliando desta forma suas experiências, conhecimentos e participação social;
• Proporcionar à família o direito de ter acesso a informação, ao apoio e orientação sobre seu filho, participando do processo de desenvolvimento e aprendizagem e da tomada de decisões quanto aos programas e planejamentos educacionais;
• Sensibilizar toda a equipe de funcionários para que o atendimento das crianças com necessidades educacionais especiais, seja realizado sem discriminação e sim promovendo a interação entre alunos, professores, funcionários e direção;
• Conhecer e analisar o contexto familiar em que a criança está inserida a partir de sua matrícula, para que se possa nortear o ensino técnico com o objetivo de estabelecer os vínculos afetivos e papéis;
• Estimular a participação dos pais e profissionais comprometidos com a inclusão nos conselhos escolares e comunitários;
• Envolver a comunidade, visando a socialização da criança portadora de necessidades educacionais especiais, não somente dentro da unidade educacional, como também no contexto social;
• Criar um relacionamento saudável e afetivo entre a Unidade de Creche/Pré-escola e a família;
• Incluir a criança protadora de necessidades especiais não somente no seu direito jurídico, mas principalmente no direito moral;
• Divulgar propostas existentes e bem sucedidas;
• Estimular a implantação de propostas inovadoras;
• Conscientizar e envolver toda a equipe da unidade/creche do seu papel no processo de inclusão, para que possamos promover através da pedagogia do amor um relacionamento de compreensão, carinho e dedicação, fazendo assim com que o desenvolvimento da criança com necessidades educacionais especiais seja realizado com eficácia, assegurando que a mesma irá atingir o nível máximo de sua capacidades e potencialidades.


IV – METODOLOGIA
Para a execução dos objetivos propostos no Projeto, serão utilizadas estratégias que possam concorrer para o êxito e eficácia do trabalho;


Ações:-
• Estabelecer mecanismos de articulação que permitam a execução de um programa de integração para o atendimento dos portadores de necessidades educacionais especiais;
• Favorecer e conscientizar a sociedade a respeito dos direitos das crianças portadoras de necessidades educacionais especiais, por meio de ampla divulgação pelos meios de comunicação, ou seja, imprensa escrita e falada, baseando-se no principio da inclusão;
• Valorizar a diversidade como elemento enriquecedor no processo de desenvolvimento pessoal e social;
• Constar nas políticas educacionais marcos legais que favoreçam a educação inclusiva;
• Sistematizar o processo de coleta de dados estatísticos, de modo a possibilitar a obtenção de informações sobre a demanda de atendimento educacional aos educandos que apresentam necessidades educacionais especiais;
• Eleger o currículo comum com as devidas adaptações ou complementações curriculares como referencial para a educação;
• Contar com currículos amplos, equilibrados, flexíveis e abertos;
• Colocar serviços de apoio à disposição da Creche/EMEI, dos professores e dos pais, colaborando na organização, estrutura do trabalho e reflexão do trabalho;
• Elaborar procedimentos dos quais poderemos identificar sinais de que a criança necessita de atendimento especial;
• Promover e incentivar as atitudes solidárias e cooperativas entre os alunos e os demais membros da comunidade Creche/Escola;
• Adquirir equipamentos, recursos específicos e materiais didáticos pedagógicos para dar suporte ao aluno/monitor/professor;
• Elaborar, produzir e divulgar, material pedagógico tanto para os alunos portadores de necessidades especiais, quanto para os profissionais que atuam com eles na educação infantil;
• Incluir o atendimento a criança portadora de necessidades especiais em todos os serviços e benefícios oferecidos pela comunidade.




- INTERSETORIALIDADE -

Desenvolver parcerias para que o projeto proposto obtenha sucesso no âmbito da inclusão, através das seguintes categorias:- Equipe Técnica da Secretaria de Educação, Ambulatório, CAPS Infantil, Assistência Social, Saúde e APAE.





ESTRATÉGIAS DE INTEGRAÇÃO DA EDUAÇÃO INFANTIL NA INCLUSÃO DOS PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS



V – AVALIAÇÃO
A avaliação é um importante instrumento para que o professor possa obter dados sobre o processo de aprendizagem de cada criança, reorientar sua prática e elaborar seu planejamento, propondo situações capazes de gerar novos avanços na aprendizagem das crianças. Assim caberá a ele investigar sobre a adequação dos conteúdos escolhidos, das propostas lançadas e sobre o tempo e ritmo impostos ao trabalho. Estando sempre atento de que estará trabalhando não somente com crianças com necessidades educacionais especiais, mas também com crianças tidas como normais, portanto a dinâmica de seu trabalho deverá estar adequada a diversidade dos alunos.
O processo de avaliação e atendimento será assim sintetizado:-
• Identificação das potencialidades e necessidades educacionais da criança, incluindo entrevista com a família, avaliações psico-educacionais da criança, estudo sócio-familiar, exames médicos e outros que se fizerem necessários, de acordo com o caso;
• Integração de dados, conforme as áreas mais significativas do desenvolvimento da criança;
• Elaboração de recomendações do plano individual de intervenção, estabelecendo prioridades e propondo alternativas e procedimentos aplicáveis;
• Identificação das barreiras que incidem no atendimento ( condições do local e da prática profissional) e estabelecimento de recomendações para sua eliminação;
• Acompanhamento e avaliação da criança e de seu ambiente durante o desenvolvimento do programa, verificando os resultados que vão sendo alcançados , de modo a formular novas recomendações, se for o caso.





VI – FINALIDADE

A Escola Inclusiva, tendência internacional neste final de século, é uma meta a ser perseguida por todos aqueles comprometidos com a Educação Especial. A viabilidade de sua implementação depende, porém, de um amplo consenso da sociedade a respeito da aceitação dos portadores de necessidades especiais na vida social e da compreensão de seu direito à cidadania.
A maneira como são encarados os direitos dos portadores de necessidades educativas especiais no Brasil vem apresentando uma sensível evolução. Conquistas sólidas e duradouras que marcaram os últimos tempos são o resultado do esforço coeso do Governo e da sociedade brasileira. A continuidade desse processo de conscientização, reforçada por campanhas de sensibilização a serem veiculadas nos meios de comunicação, haverá de criar o ambiente adequado para o surgimento de uma nova mentalidade.
Com isso, espera-se configurar procedimentos de avaliação que permitam o planejamento de ações futuras, assegurando assim as condições propícias de respeito às diferenças individuais, tendo por finalidade proporcionar as crianças portadoras de necessidades educacionais especiais alcançar seu pleno desenvolvimento.

APM
CONSELHHO DELIBERATIVO:

Presidente Nato: Roselene Hidalgo Miguel Malaguti

Representante dos Professores: Nalva Cibele Micheletti Garieri, Vera Lúcia Bonazzi Provenzano, Vera Regina Jacob Soares

Representante dos Funcionários: Rosangela Aparecida Galli, Edileusa Roberta de Andrade, Sandra Aparecida Baptista

Representante dos Pais: Andresa Aparecida Faria, Cristiane Duarte, Ângela Maria Figueiredo, Sonia Maria Ferreira Lima de Araújo, Isuilda Wiclack

DIRETORIA EXECUTIVA:

Diretor Executivo: Nalva Cibele Micheletti Garieri

Vice Diretor Executivo: Edileusa Roberta de Andrade

Secretário: Rosangela Aparecida Galli

Diretor Financeiro: Sonia Maria Ferreira Lima de Araújo

Vice Diretor Financeiro: Vera Lúcia Bonazzi Provenzano

Diretor Cultural e Esporte: Ângela Maria Figueiredo

Diretor Social: Isuilda Wiclack

Diretor Patrimônio: Sandra Aparecida Baptista

CONSELHO FISCAL:

Vera Regina Jacob Soares
Andresa Aparecida Faria
Cristiane Duarte




COMPOSIÇÃO DO CONSELHO DE ESCOLA

PRESIDENTE: Roselene Hidalgo Miguel Malaguti

CONSELHEIROS:

SEGMENTO DOS PROFESSORES –
Vera Regina Jacob Soares
Nalva C. Micheletti Garieri
Vera Lúcia Bonazzi Provenzano

SEGMENTO DOS FUNCIONÁRIOS:
Elaine Ap. da Silva Lopes
Edileusa Roberta de Andrade

SEGMENTO DOS PAIS:
Luciane Maria Peroza
Gislaine Padovani Romualdo
Gisele Fernanda de Paula
Gislaine Cristina de Paula Nascimento
Adriana A. de Souza de Paula

SEGMENTO DOS ALUNOS E ESPECIALISTAS DA EDUCAÇÃO:
prejudicado

DEMONSTRAÇÃO DA CAPACIDADE FÍSICA E
ORGANIZAÇÃO DAS CLASSES

Nº DA SALA ÁREA INTEGRAL
CLASSES E CURSOS ALUNOS
01 42 m² Maternal II 20
02 42 m² 1ª Etapa 25
03 42 m² 2ª Etapa 25
04 42 m² 3ª Etapa 25

Total de Alunos: 95
Data Base: 30/03/08

QUADRO DO PESSOAL DOCENTE E
RESPECTIVA HABILITAÇÃO

Nº D de Ordem Nome e R.G. Habilitação Registro no Mec ou Autorização Período/Classe
01 Nalva C. Micheletti Garieri Pedagogia

Especialização (certificado) 2ª Etapa
07:30 h às 11:30 h
02 Vera L. Bonazzi Provenzano Pedagogia
Pós – Grad. Nº 251
Nº 030437 1ª Etapa
07:30 h às 11:30 h
03 Vera R. Jacob Soares Est. Sociais
Pedag. Plena
Pós – Grad. Nº 010344
Nº 051729
Nº 061 3ª Etapa
07:30 h às 11:30 h

OBS:

Profª. Nalva Cibele Micheletti Garieri, possui Curso de Especialização – “Preparação de Professores e Profissionais afins para o Ensino Especializado na área da deficiência Mental e Múltipla na Educação Inclusiva”, com carga horária de 320 h/a, emitido pelo Centro de Educação Especial e Orientação profissional Lílian Carla S/C de Bauru” e Especialização na área da Educação, “alfabetização em um contexto curricular integrado na educação infantil e nas séries iniciais do ensino fundamental”, com carga de 500 h/a, emitido pela FACITA.

Profª. Vera Regina Jacob Soares, possui Pós-Graduação – “Habilitação pedagógica para professores e profissionais afins para o ensino especializado na área das deficiências mental, auditiva e múltiplas na educação inclusiva”, com carga horária de 500 h/a, emitido pela FACITA.

Profª. Vera Lúcia Bonazzi Provenzano, possui Pós-Graduação em “Didática – Fundamentos Teóricos da Prática Pedagógica”, com carga horária de 400 h/a, emitido pela Faculdade de Educação São Luis.

2 comentários:

Rose Diniz® disse...

Passando pra fazer uma visita e desejar que sua semana seja abençoada por Deus. Beijos docinhos

CÍNTIA disse...

OI QUERIDA!
ADOREI SEU BLOG !!!!!!!
É ENCANTADOR !!!!
ESPERO SUA VISITA, OK ...

BJOS MIL

CÍNTIA